13:11 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 12
    Nos siga no

    Ainda que desastres, como erupções, colisões planetárias ou asteroides, possam varrer a vida humana da face da Terra, graças a eles a humanidade existe hoje.

    A vida inteligente na Terra surgiu em um delicado equilíbrio ambiental formado após inúmeras catástrofes globais, que deram uma chance para o surgimento da humanidade. O que exatamente nos fez prosperar?

    Nascimento da Lua

    O satélite natural do nosso planeta, a Lua, que impacta fortemente a vida na Terra, nasceu há 4,5 bilhões de anos como resultado de uma grande catástrofe, concluíram cientistas após análise de amostras da superfície lunar.

    No jovem Sistema Solar, a recém-formada Terra colidiu com um planeta do tamanho de Marte, muitas vezes referido como Theia. Ainda que parte da Terra tenha sido perdida e nosso planeta tenha mudado seu eixo, o convidado indesejado se destroçou.

    A Lua, satélite natural da Terra
    A Lua, satélite natural da Terra

    Os detritos resultantes da colisão formaram a Lua graças à força gravitacional após aproximadamente um milhão de anos. Enquanto nosso eixo contribuiu para o surgimento das quatro estações, a Lua e sua força impediram o enrijecimento do centro da Terra, o que possibilita o nosso planeta ter oxigênio em sua atmosfera, que nos protege da radiação ultravioleta e asteroides. Sem isso, a vida na Terra, como a conhecemos hoje, dificilmente seria possível.

    Eras glaciais

    A Terra teve vários períodos de temperaturas extremamente baixas, com os mais frios particularmente importantes para o desenvolvimento da vida. O primeiro destes ocorreu há 2,4 bilhões de anos e durou 300 milhões de anos. Embora houvesse vida nesta época, era limitada a microrganismos. Portanto, estas bactérias conseguiram sobreviver e se desenvolver em organismos mais complexos.

    Outro forte período de glaciação, que teria ocorrido entre 720 e 635 milhões de anos atrás quando bactérias marítimas existiam, sarcasticamente é chamado de Terra Bola de Neve. Conforme sugere uma das hipóteses, a temperatura correspondia a 43 graus Celsius negativos na linha do Equador. No entanto, bolsões de água líquida teriam permanecido nesta área e próximos ao topo de montanhas, ajudando estas formas de vida a continuarem vivas.

    Fim da Era dos Dinossauros

    Outra extinção em massa ocorreu há 66 milhões de anos, aniquilando as criaturas que dominaram a Terra por 250 milhões de anos, os dinossauros. Eles, junto com outros grandes animais e grande parte da flora, foram varridos do mapa, provavelmente devido a um asteroide.

    O corpo rochoso, que caiu no golfo do México, criou um enorme tsunami, que afogou boa parte das espécies da América do Norte, além de criar uma nuvem de poeira bloqueadora da luz solar. Porém, este evento deu uma chance aos mamíferos, uma vez que animais maiores, dependentes de plantas que não cresciam mais, deixaram de oferecer competição.

    Mais:

    Cientistas da Rússia, EUA e Itália pretendem criar base habitável em lua de Marte
    Asteroide do tamanho do que exterminou dinossauros poderia novamente impactar Terra
    Árvores da Amazônia são 'cápsula do tempo' da história humana
    Tags:
    cataclismo, asteroide, tsunami, era glacial, Lua, humanidade, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar