23:42 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    292
    Nos siga no

    Estudo das pegadas fossilizadas do vulcão Roccamonfina, na Itália, que vêm sendo estudadas desde 2001, revela novos dados sobre a vida dos primeiros hominídeos da Europa.

    O vulcão Roccamonfina é localizado na região italiana da Campânia, no sudoeste do país, e é famoso por conter lava congelada em suas ladeiras que preservou as pegadas de hominídeos de 325.000 a 385.000 anos.

    Moradores italianos das redondezas as chamam de "pegadas do Diabo", porque só o diabo podia caminhar sobre a lava quente, como creem.

    As "pegadas do Diabo" são as mais antigas já conhecidas e deixadas por nossos antepassados no continente europeu.

    Um estudo recente das rochas do vulcão, realizado por cientistas italianos e publicado na revista científica Journal of Quaternary Science, revelou novos dados sobre a vida dos primeiros hominídeos que habitaram esses territórios no período do Pleistoceno.

    Durante pesquisas interiores, foram encontradas múltiplas pegadas no sentido de cima para baixo. No entanto, a última pesquisa revelou a presença de pegadas fossilizadas que mostram sentido contrário: de baixo para cima. Isso significa que os seres que habitavam a zona não só escaparam da erupção, mas subiram até o respigadeiro do vulcão em atividade.

    Pegadas do Diabo do vulcão Roccamonfina na região da Campânia, Itália
    "Pegadas do Diabo" do vulcão Roccamonfina na região da Campânia, Itália

    Levando em consideração a idade das rochas vulcânicas, onde foram encontradas as pegadas, pesquisadores creem que foram deixadas pelos primeiros hominídeos, provavelmente neandertais, conhecidos por terem habitado a península italiana na época.

    As rochas foram inicialmente um fluxo piroclástico, uma mistura de gases vulcânicos quentes, fragmentos de cinza e lava, formados durante erupção vulcânica. A velocidade do fluxo podia alcançar 200 metros por segundo e a temperatura podia atingir centenas de graus.

    Feita a análise, os pesquisadores concluíram que ao menos cinco neandertais caminharam na área do estudo. Com isso, a natureza das pegadas indica que não correram, mas caminharam tranquilamente.

    Assim, foi sugerido que os hominídeos caminharam na zona quando a corrente de lava já tinha resfriado, mas não endurecido.

    Segundo cientistas italianos, os dados obtidos indicam que o vulcão Roccamonfina ativo era um lugar importante para os neandertais que habitavam a região e que subiam com algum propósito específico.

    Mais:

    Cientistas ficam surpresos com quantidade exorbitante de plástico na Antártica
    'Partículas fantasmas' de radioatividade são detectadas nas profundezas da Terra
    Ovos fossilizados achados na China revelam dinossauros parecidos com aves modernas (FOTOS)
    Tags:
    lava, vulcão, neanderthal, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar