09:59 13 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    280
    Nos siga no

    Cientistas temem que mudanças climáticas possam derreter as geleiras tibetanas e liberar vírus perigosos no meio ambiente, considerando que esse seria o pior cenário possível.

    Nos últimos 15.000 anos, uma geleira no planalto tibetano da China alberga um conjunto de seres incomuns e deveras peculiares: vários tipos de vírus congelados, muitos deles ainda desconhecidos da ciência contemporânea.

    Congelados mas vivos há milhares de anos

    Recentemente, os cientistas, ao analisarem amostras de gelo desta geleira, detectaram a existência de 28 grupos de vírus antes desconhecidos.

    Para os cientistas, segundo o artigo publicado pela bioRxiv, se trata de uma descoberta relevantíssima pois permitirá perceber como é que os vírus foram sobrevivendo e prosperando ao longo dos tempos em diferentes climas e ambientes, inclusive sob condições extremas.

    Face às mudanças climáticas, os cientistas temem que o derretimento da geleira lance esses vírus desconhecidos no meio ambiente, pelo que urge estudá-los o melhor e o mais rapidamente possível, pois há sempre a possibilidade que alguns deles serem mortais.

    Um mundo fascinante congelado

    De acordo com o portal Livescience, ainda estamos muito longe de conseguir elencar a totalidade dos vírus da Terra, citando Chantal Abergel, uma especialista francesa em virologia ambiental.

    As duas séries de amostras de gelo do planalto tibetano foram coletadas em 1992 e 2015. Contudo, houve contaminação exterior durante a perfuração, manuseio e transporte. Mas, para gáudio dos cientistas, o núcleo das amostras permaneceu intacto.

    Recorrendo a técnicas sofisticadas e em ambiente de temperatura controlada, estanque e esterilizada, a equipe de pesquisa conseguiu identificar 33 grupos de gêneros de vírus nos núcleos de gelo. Desses, 28 eram completamente desconhecidos anteriormente pela ciência.

    "Os micróbios das duas séries de amostras diferiam significativamente entre eles, presumivelmente devido as condições climáticas muito diferentes aquando da deposição", refere-se no aludido estudo.

    A pesquisa sobre vírus antigos representa um primeiro passo no estudo dos genomas dos vírus localizados em ambientes glaciares e do seu provável impacto microbiano em caso de degelo, concluíram os cientistas.

    Mais:

    Detectado vírus mortal ainda não identificado na América Latina
    Surto de vírus perigoso que já matou 2 médicos alarma Bolívia
    Vírus altamente contagioso atinge navio de cruzeiro com 2.000 pessoas nos EUA
    Tags:
    Tibete, China, vírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar