06:02 09 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1100
    Nos siga no

    Novos achados arqueológicos desvendam que os habitantes da cidade tinham uma boa qualidade de vida e, além disso, a desigualdade entre os diferentes grupos sociais era menor.

    Fragmentos de murais pré-hispânicos descobertos recentemente nos arredores de Teotihuacán, que fora a maior cidade da América, se juntam às evidências de que os habitantes comuns desfrutavam de uma vida bastante boa, as novas revelações inclusive destacam que a desigualdade era menor, apontam pesquisadores.

    Arqueólogo Ruben Cabrera mostra o que sobrou das pinturas murais nas paredes
    © REUTERS . Gustavo Graf Maldonado
    Arqueólogo Ruben Cabrera mostra o que sobrou das pinturas murais nas paredes
    Decorados com flores e pássaros que parecem estar cantando, os murais evocam um paraíso. O sítio arqueológico foi descoberto a cerca de três quilômetros do centro de Teotihuacán, se tornando uma verdadeira surpresa, segundo disse David Carballo, arqueólogo da Universidade de Boston que descobriu as pinturas coloridas sobre estuque em paredes de três edifícios que começaram a ser escavados em julho deste ano.

    "Descobrimos agora que a vida na periferia era bastante boa", disse o arqueólogo.

    Restos de murais no sítio arqueológico de La Ventilla, na antiga cidade de Teotihuacán, no México
    © REUTERS / Gustavo Graf Maldonado
    Restos de murais no sítio arqueológico de La Ventilla, na antiga cidade de Teotihuacán, no México

    A equipe de arqueólogos também achou outros sinais de riqueza, incluindo colares de jade, uma máscara de pedra finamente esculpida e conchas da costa mexicana do Pacífico e do Atlântico.

    Os murais inéditos apontam para um comportamento radicalmente diferente em Teotihuacán, que floresceu aproximadamente entre os anos 100 a.C. e 550 d.C., quando comparado com outras civilizações da antiguidade.
    Mural fragmentado retrata uma onça-pintada nas paredes do Pátio das Onças no sítio arqueológico de La Ventilla
    © REUTERS / Gustavo Graf Maldonado
    Mural fragmentado retrata uma onça-pintada nas paredes do Pátio das Onças no sítio arqueológico de La Ventilla

    Em uma altura em que a vida cotidiana contemporânea na Roma Antiga e no Egito era marcada pela prevalência de uma pequena elite sobre massas empobrecidas ou escravizadas, as descobertas indicam que a vida da maior parte dos cem mil habitantes de Teotihuacán era muito melhor.

    Mais:

    Cientistas revelam o segredo das pirâmides da cidade fantasma de Teotihuacan (VÍDEO)
    Riquezas dignas de Indiana Jones: 'Lugar onde nasceram os deuses' revela segredos (FOTOS)
    Tags:
    Roma, Egito, civilizações antigas, descoberta, México, pirâmide
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar