23:57 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    110
    Nos siga no

    Análises sobre formação e desenvolvimento de protoplanetas no Universo ajudam cientistas a levantar hipóteses sobre a formação da Terra e o surgimento da vida.

    Observando a estrela HD 141569A, cientistas consideram ser possível que ao seu redor esteja em pleno desenvolvimento um sistema planetário.

    Conforme publicaram cientistas de diferentes instituições no portal científico arXiv, a fonte do material para formação de tal sistema seriam partículas de uma nuvem formada por gases e poeira, ou seja, um disco protoplanetário.

    Tal fenômeno também foi observado em muitas outras estrelas jovens, chamando a atenção dos astrônomos que buscam entender como surgiu a Terra e a vida.

    Descobertas

    Atualmente, mais de 4.000 exoplanetas foram descobertos em mais de 3.000 sistemas planetários. Acredita-se que os planetas do Sistema Solar também se formaram a partir de uma nuvem de poeira espacial e gases.

    Enquanto isso, achar uma nuvem protoplanetária é uma tarefa mais fácil do que encontrar exoplanetas. A razão disso seria o seu grande tamanho, além da emissão de luz polarizada.

    Em 1994, o telescópio espacial Hubble achou discos de poeira massivos em mais de metade das estrelas na nebulosa de Órion. O aparelho permitiu aos cientistas entender que, devido à forte rotação da poeira ao redor da estrela, o material se mantém a certa distância da mesma.

    Vida curta

    Enquanto isso, um relatório científico publicado pela Astrophysical Journal Letters demonstrou que discos protoplanetários em aglomerados de estrelas jovens podem ter no início uma grande concentração de poeira cósmica, que se reduz rapidamente com o tempo, fazendo com que as estrelas de mais de três milhões de anos percam seus discos.

    Sendo assim, os cientistas acreditam que tais discos possam ter em média seis milhões de anos, o que é relativamente pouco em termos de Universo.

    Vida nas nuvens protoplanetárias

    Em 2016, com ajuda do telescópio de micro-ondas ALMA os astrônomos encontraram no disco de poeira da estrela TW Hydrae traços de metanol em estado sólido ou álcool metílico.

    Moléculas de metanol se formam em superfícies congeladas de grãos minúsculos de poeira. Em seguida elas evaporam em forma de gás.

    Enquanto isto, o metanol serve como material de construção para substâncias químicas mais complexas, tais como aminoácidos e açúcares, tendo um papel importante na formação da matéria orgânica necessária para a vida.

    Também foram encontradas moléculas de ácido cianídrico e íons de aldeídos no disco de gás e poeira ao redor da estrela dupla IRS 43 na constelação Serpentário.

    Além disso, modelos feitos em computador já tinham mostrado que moléculas orgânicas, consideradas os tijolos da vida, podem se formar durante o aquecimento e irradiação por raios ultravioleta de grãos de gelo do disco protoplanetário antes da formação de um planeta, conforme estudo publicado na revista Science.

    Mais:

    'Viajantes' do espaço se esconderam na Antártica? Não são OVNIs, segundo pesquisas
    No tribunal e no espaço: novos sensores magnéticos aumentam nível de proteção
    Astrônomo: 21 mil objetos espaciais podem ser perigosos para Terra
    Tags:
    origem da vida, universo, planetas, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar