17:53 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    A galáxia Via Láctea

    'Abraço gravitacional' pode causar morte da Via Láctea, aponta especialista

    © Depositphotos / Alexmit
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    161
    Nos siga no

    Nossa galáxia, que é produto de uma grande explosão e a única conhecida por suportar vida, poderá cair no esquecimento de uma forma similar.

    A Via Láctea é apenas uma de uma infinidade de galáxias espalhadas pelo Universo, que até o momento foram contabilizadas em aproximadamente 100 bilhões.

    Gemma Lavender, membro da Royal Astronomical Society, astrofísica e escritora, mostra que há muitos motivos para que a Via Láctea continue sendo um foco de atenção.

    Centro da Via Láctea filmado pelo telescópio Spitzer
    Centro da Via Láctea filmado pelo telescópio Spitzer

    "Parece um rio de luz, mas [...] você pode observar que ela é formada a partir de inúmeras estrelas. Olhe ainda mais de perto e você verá que entre as estrelas há bolsas de gás e poeira, algumas coloridas, outras escuras e escondidas", afirmou.

    Os astrônomos supõem que a Via Láctea tem aproximadamente 13,5 bilhões de anos. Além disso, a pesquisadora diz que, daqui a aproximadamente quatro ou cinco bilhões de anos, a galáxia Andrômeda deverá colidir com a Via Láctea.

    "Nossas duas galáxias começarão a arrancar pedaços uma da outra [...] Talvez haja um segundo encontro próximo depois de se aproximarem, e nesse abraço gravitacional da morte as duas galáxias irão girar e cair literalmente nos braços uma da outra, suas estrelas e gás serão mesclados", ressaltou.

    "Suas nuvens de gás molecular se encontrarão de cara e se iniciarão grandes explosões de formações de estrelas", completa Lavender.

    A Via Láctea, produto do Big Bang que ocorreu há 13,5 bilhões de anos, é uma galáxia espiral que possui quatro braços estendidos em torno de um buraco negro supermassivo, conhecido como Sagittarius.

    Mais:

    Telescópio Hubble mostra 'duelo de galáxias' nas profundezas do espaço (FOTO)
    Telescópio Hubble capta 1º cometa interestelar confirmado em VÍDEOS
    Hubble registra 'batalha celestial' a 200 milhões de anos-luz (FOTO)
    Tags:
    Big Bang, pesquisa, estudo, galáxias, galáxia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar