14:53 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 63
    Nos siga no

    A Terra é provavelmente o único planeta habitado do Sistema Solar. Para além disso, a vida surgiu no planeta quase imediatamente após sua formação há 4,25 bilhões de anos.

    Desde então, na Terra se formou um sistema de anéis, que posteriormente desapareceu, uma parte da superfície terrestre se separou do planeta e voou para o espaço e cianobactérias originaram o aparecimento do Homo sapiens.

    Terra tinha anéis igual a Saturno

    Aproximadamente 715 milhões de anos atrás, a Terra estava completamente coberta de gelo e neve. Mesmo no sítio mais quente do planeta, o equador, as temperaturas não ultrapassavam os 20 graus negativos.

    Este período durou quase 120 milhões de anos e é conhecido na ciência como Idade do Gelo. De acordo com uma das teorias, foi precisamente o eterno reino do gelo que originou a explosão Cambriana, época que foi acompanhada por uma grande diversificação de organismos, incluindo animais, fitoplâncton e calcimicróbios.

    Por sua vez, o surgimento do período glacial é resultado de outro evento global – a formação de um sistema de anéis em torno da Terra, semelhantes àqueles que podemos observar em Saturno.

    Os cientistas americanos Peter Fawcett e Mark Boslough teorizam que, antes de o nosso planeta se transformar em uma espécie de bola de gelo, ele foi atingido por um asteroide gigantesco.

    Ilustração artística da Terra com anéis
    © Illustration: RIA Novosti, Depositphotos/Shad.off, NASA
    Ilustração artística da Terra com anéis

    O impacto foi de tal força que os destroços rochosos que resultaram da colisão foram lançados para a órbita da Terra, formando assim anéis em torno do nosso planeta.

    A sombra dos anéis dificultou a penetração da luz solar nas regiões tropicais da Terra, conduzindo a um drástico arrefecimento global.

    Porém, o sistema de anéis era instável e estes desapareceram bastante rápido (do ponto de vista astronômico, claro) devido ao efeito lunar e ao vento solar que gradualmente dispersava os pequenos componentes dos discos para fora da órbita.

    Lua fazia parte da Terra

    Um dos argumentos daqueles que pensam que os estadunidenses nunca estiveram na Lua é a composição do solo trazido deste corpo celeste. Ele coincide com o terrestre ao ponto de ter partes iguais de isótopos de titânio, oxigênio e outros elementos.

    Mas a questão não está na suposta falsificação de amostras espaciais – na verdade, alguns bilhões de anos atrás, a Lua fazia parte da Terra.

    Segundo revelam pesquisadores norte-americanos da Universidade da Califórnia em Los Angeles, após a sua formação a Terra colidiu com um corpo celeste proporcionalmente semelhante a Marte.
    Imagem ilustrativa da colisão entre Terra e Theia
    © Depositphotos / Innovari
    Imagem ilustrativa da colisão entre Terra e Theia

    Theia, o nome dado ao corpo que colidiu com a Terra a grande velocidade, penetrou na crosta do nosso planeta e se fundiu com as rochas terrestres, tendo uma parte desta fusão sido expelida para o espaço, onde gradualmente se transformou na Lua.

    No futuro só haverá um continente na Terra

    Segundo as concepções modernas, daqui a 250 milhões de anos, os continentes irão se juntar novamente formando um supercontinente. Uns cientistas lhe chamam de Pangeia Última, outros de Aurica ou Amásia.

    Mais:

    Cientistas revelam como vermes diabólicos sobreviveram nas profundezas da Terra (FOTO)
    Há vida alienígena? Lua de Saturno analisada pela NASA revela semelhanças com Terra
    'Elevador espacial' poderia transportar astronautas entre Terra e Lua, afirmam cientistas
    Tags:
    continente, idade do gelo, colisão, asteroide, Espaço, Saturno, desconhecido, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar