05:24 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    4230
    Nos siga no

    O fóssil do predador desenterrado no Brasil, chamado Gnathovorax cabreirai, é o maior de todos os predadores de seu período, e tem 230 milhões de anos.

    O fóssil do dinossauro carnívoro mais antigo do mundo foi descoberto no sul do Brasil, indica um novo estudo publicado na última sexta-feira (8) na revista PeerJ.

    Chamado Gnathovorax cabreirai, o dinossauro habitou os territórios que hoje são da América do Sul há cerca de 230 milhões de anos. O fóssil estava praticamente intacto, incluindo suas mandíbulas e garras afiadas. Os especialistas foram capazes de reconstruir a forma do cérebro do animal, que eles sugeriram ter boa visão e coordenação.

    Bem-vindo ao Gnathovorax cabreirai, novo dinossauro do Triássico do Brasil. Novas informações sobre a origem e a expansão inicial dos dinossauros predadores! Parece ser uma ótima pesquisa!

    Segundo o estudo, trata-se do melhor fóssil preservado a ser encontrado no Brasil.

    Um predador do topo

    Depois de examinar seu crânio, os dados levaram os pesquisadores a concluir que essa espécie de dinossauro era um predador no topo da cadeia alimentar.

    Os únicos dinossauros conhecidos daquele tempo mediam um máximo de 1,5 metros de comprimento. Pelo contrário, o Gnathovorax, com seus três metros de comprimento e cerca de meia tonelada de peso, era um dos maiores carnívoros de sua área.

    A descoberta poderia ajudar os paleontólogos a entender melhor a evolução do Tiranossauro Rex, já que Gnathovorax viveu dezenas de milhões de anos antes de outras espécies de superpredadores.

    Mais:

    Monstros da Antártica: conheça dinossauros mais raros achados no continente gelado (FOTOS)
    Seria esfinge real? Arqueólogos egípcios teriam encontrado provas de 'animal estranhíssimo'
    Submarino bombardeado dos EUA é encontrado depois de 75 anos (FOTOS)
    Tags:
    Brasil, dinossauro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar