15:34 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cobra com mandíbula aberta

    Apetite voraz: zoóloga brasileira detalha como cobras devoram grandes presas

    CC BY-SA 2.0 / Sander van der Wel / BIG mouth
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 21
    Nos siga no

    Cobras são animais extremamente bem-sucedidos. Com exceção de algumas ilhas e dos cantos mais frios do globo, habitats das cobras cobrem o planeta. Seus habitats também são incrivelmente diversos.

    "São encontradas em água salgada e doce. Há cobras que vivem no solo. Há cobras que vivem nas árvores. Há uma cobra no Sudeste Asiático que desliza de árvore em árvore", destacou Kevin Calhoon, curador de florestas do Aquário de Tennessee, em Chattanooga.

    A pesquisa sugerida no topo do YouTube sobre cobras enfatiza um tema: tamanho. Qualquer pessoa com uma sensibilidade macabra e alguns minutos de sobra pode ver uma cobra "atar" um jacaré, um cervo, um porco, um crocodilo ou uma vaca.

    Mas qual é o maior animal que uma cobra pode devorar? Há uma tremenda variação no que as cobras comem.

    "Você pode encontrar cobras que comem minhocas, moluscos e grandes presas, incluindo mamíferos", disse Julia Klaczko, zoóloga da Universidade de Brasília, ao portal Live Science.

    As cobras têm uma relação incomum com os alimentos. Sem a incômoda necessidade de produzir calor corporal, uma serpente pode sobreviver com muito menos calorias do que a maioria dos outros animais de sangue quente de seu tamanho. Cobras fêmeas podem se manter vivas e se reproduzir mesmo quando consomem menos de 3% da quantidade de presas que um animal de sangue quente de tamanho semelhante precisaria, segundo um estudo publicado em 1988 na revista Oecologia.

    Serpentes podem usar energia eficientemente, mas faltam-lhes algumas características que outros animais usam para comer. Sem membros, uma cobra não consegue manter sua refeição no lugar ou empurrar o alimento para baixo de sua garganta, explicou Klaczko. As cobras também não têm dentes serrilhados para rasgar e dentes planos para mastigar. Engolir tudo de uma vez é a regra das cobras.

    "A capacidade de comer presas grandes não é algo que só aconteceu uma vez na evolução da cobra", disse Klaczko.

    Embora os pesquisadores ainda tenham algumas perguntas sobre a árvore genealógica da serpente, evidências sugerem que diferentes linhagens de serpentes desenvolveram independentemente características semelhantes que as deixam pegar, engolir e digerir suas presas, acrescentou a zoóloga.

    Completamente aberto

    Ao contrário do imaginado, cobras não soltam nem deslocam os maxilares. Ao invés disso, elas usam um grupo especializado de ossos, ligamentos e músculos do crânio para abrir a boca incrivelmente larga, permitindo que uma cobra se aproveite de animais que podem ser significativamente maiores do que ela mesma. O tamanho dessa abertura, que os herpetologistas chamam de "abertura da boca", limita o tamanho da presa que uma cobra pode comer.

    "A mandíbula da cobra não está presa ao crânio, mas sim aos ligamentos", relata Calhoon. "Elas têm uma estrutura de mandíbula de ligamento muito flexível que lhes permite esticar e abrir muito mais."

    Depois de obter suas mandíbulas esticadas em torno de uma refeição, o próximo passo é mover a presa através do trato digestivo serpentino, onde os sucos digestivos no estômago podem começar a quebrar tecidos. Ao comer uma presa menor, uma cobra pode usar suas mandíbulas para empurrar um verme ou roedor para trato digestivo, mas para refeições maiores, as cobras usam ossos em sua cabeça e mandíbula para "agir contra a presa", disse Klaczko.

    Cervos e vacas estão entre os maiores animais que cobras já comeram.

    Em 2018, uma píton birmanesa na Flórida que pesava uns 14 quilos engoliu um jovem cervo de cauda branca que pesava 16 quilos, sendo essa a maior relação de peso entre presas e predadores já documentada para pítons birmaneses, e talvez para qualquer espécie de píton, de acordo com o Departamento de Conservação do Sudoeste da Flórida. No entanto, a cobra mais tarde morreu depois de regurgitar o cervo.

    Embora os humanos não estejam no topo da lista, eles estão entre os maiores animais que as cobras já comeram.

    Em 2017, um homem de 25 anos foi comido por uma píton-reticulada na Indonésia, informou a National Geographic naquele ano. Ainda no ano passado, uma infeliz mulher de 54 anos foi aparentemente morta e comida por uma píton gigante, também na Indonésia. Felizmente, essas mortes são extremamente raras.

    Enquanto algumas cobras comem jacarés, vacas e pessoas, a maioria das cobras se satisfaz perfeitamente com um verme ou talvez um rato, e elas desempenham um papel fundamental na manutenção do equilíbrio das cadeias alimentares e ecossistemas da Terra, ressaltou a zoóloga Klaczko.

    "As cobras são muito importantes para a ecologia e o equilíbrio", concluiu a zoóloga.

    Mais:

    'Dança proibida' com cobras causa prisão de mulheres na Índia (VÍDEO)
    'Pareceu meio assustador': americano encontra serpente presa na secadora de roupa (FOTO)
    Quem vence? Serpente gigante aceita duelar com soldado da Malásia
    Tags:
    serpentes, Cobra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar