05:17 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Hubble da NASA mostra que Via Láctea tem colisão frontal como seu destino (imagem referencial)

    Hubble fotografa inacreditável Medusa no espaço (FOTO)

    © flickr.com/ NASA Goddard Space Flight Center
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    130
    Nos siga no

    O telescópio Hubble captou uma imagem incrível de uma galáxia conhecida como a fusão da Medusa.

    A galáxia oficialmente chamada de NGC 4194, na verdade é uma galáxia dupla que está se fundindo na constelação da Ursa Maior.

    A colisão entre as duas galáxias deverá ocorrer entre a Via Láctea e a galáxia de Andrômeda daqui a aproximadamente 4 bilhões de anos, segundo a NASA.

    As galáxias colidem quando interagem entre si. Assim, podemos dizer que uma grande interação é a colisão galáctica, que pode provocar uma fusão de galáxias.

    Fusão da galáxia dupla NGC 4194, conhecida como fusão da Medusa, captada pelo Hubble
    Fusão da galáxia dupla NGC 4194, conhecida como fusão da Medusa, captada pelo Hubble

    No caso, a fusão da Medusa localiza-se a aproximadamente 130 milhões de anos-luz, e deve ter começado pelo consumo de um sistema menor, rico em gás, que estava próximo o bastante.

    Dessa maneira, ocorreu a interação que, por sua vez, lançou fluxos de estrelas e poeira para o espaço, resultando em algo semelhante às cobras de uma Medusa da mitologia grega.

    No centro da formação está o olho da Medusa, uma região de alta atividade de formação estelar, com 500 anos-luz de diâmetro.

    Sendo uma área de alta concentração de gás, ocorre uma explosão de formação estelar, resultando em um forte brilho que contrasta com o fundo cósmico escurecido.

    Mais:

    FOTO tirada pelo Hubble mostraria vida em galáxia 'morta'
    Hubble capta FOTO incrível de galáxia debilitada na constelação da Baleia
    Nada de ETs: escurecimento da estrela mais estranha da galáxia poderia ter outra explicação
    Tags:
    espaço, telescópio, hubble, galáxias, mitologia grega, NASA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar