08:30 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Estudantes em Mumbai observam a tentativa de pouso da sonda da missão Chandrayaan 2, em 7 de setembro de 2019

    Orbitador indiano de missão problemática detecta partículas carregadas na Lua

    © REUTERS / Francis Mascarenhas
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    151
    Nos siga no

    A Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO, na sigla em inglês) não perdeu contato com orbitador, que passará sete anos ao redor da Lua para coletar dados sobre a superfície lunar e a atmosfera.

    No dia 7 de setembro, a ISRO lançou a missão espacial Chandrayaan-2, mas acabou perdendo contato com o módulo de pouso Vikram enquanto tentava pousar na superfície lunar antes do previsto.

    Instrumento CLASS. A carga do orbitador da Chandrayaan-2, em seus primeiros dias de observação, pôde detectar partículas carregadas e suas variações de intensidade durante sua primeira passagem pelo [satélite de observação da magnetosfera da Terra] GEOTAIL em setembro

    O orbitador tinha tempo de funcionamento inicial de um ano, mas durante sua viagem à Lua, a ISRO conseguiu economizar combustível, aumentando ainda mais o tempo de funcionamento do aparelho espacial. A comunicação com o orbitador está acontecendo da rede de grandes antenas de apoio a missões espaciais em Byalalu, no sul da Índia.

    Magnetosfera da Terra

    De acordo com a agência espacial indiana, a magnetosfera terrestre tem um raio de três a quatro vezes maior do que o da Terra no lado voltado para o Sol, mas é esticada em uma longa cauda no lado oposto que vai além da órbita da Lua.

    "Aproximadamente, uma vez a cada 29 dias, a Lua atravessa o GEOTAIL por cerca de seis dias ao redor da lua cheia. Assim, Chandrayaan-2 também atravessa o satélite GEOTAIL, e seus instrumentos podem estudar as propriedades do GEOTAIL a algumas centenas de milhares de quilômetros da Terra", adiciona-se.

    Chandrayaan-2, com todas as suas cargas úteis, começou a viagem em 22 de julho a partir da base espacial indiana. Após contratempo inicial, conseguiu desviar obstáculos sem problemas.

    Elogio da NASA

    Apesar da falha da Índia, a NASA elogiou a missão Chandrayaan-2, dizendo que a façanha "inspirou" a agência espacial dos EUA, que está ansiosa para explorar o Sistema Solar ao lado da Índia.

    "O espaço é difícil. Elogiamos a tentativa da ISRO de pousar a missão Chandrayaan-2 no polo sul da Lua. Vocês nos inspiraram com jornada, e estamos ansiosos pelas oportunidades futuras de explorar nosso Sistema Solar juntos", escreveu a NASA em tweet em setembro.

    O aposentado astronauta da NASA, Jerry Linenger, afirmou à agência de notícias indiana PTI que as lições aprendidas com a "tentativa ousada" da Índia de usar o módulo Vikram da Chandrayaan-2 na superfície lunar devem ajudar o país durante suas missões de acompanhamento.

    Mais:

    Após 50 anos, chefe da Apollo revela 'segredo' por trás da missão da NASA à Lua
    Sonda espacial chinesa 'acorda' e retoma trabalhos no lado oculto da Lua
    NASA encontra novas moléculas orgânicas em lua de Saturno
    Tags:
    dados, orbitador, Lua, NASA, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar