08:32 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cometa C/2015 v2 Johnson (imagen referencial)

    'Portal criador de cometas' é descoberto no espaço

    CC0 / Kees Scherer
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    223
    Nos siga no

    Cientistas americanos descobriram uma zona no espaço na qual corpos gelados de bilhões de anos se transformam em cometas.

    Os corpos gelados em questão são chamados de centauros pela comunidade científica. Os datam ainda do surgimento do Sistema Solar.

    De acordo com cientistas da Universidade da Flórida Central (UCF), Estados Unidos, existe uma zona no espaço onde os centauros se transformam em cometas.

    Até então, era sabido que os cometas se formavam ao se aproximarem do Sol. Devido ao calor recebido da estrela, os centauros acabam se aquecendo e liberando gás e poeira, formando a cauda característica dos cometas.

    Descoberta

    No entanto, ao estudar a órbita irregular do centauro 29P/Schwassmann-Wachmann 1 (SW1), os cientistas perceberam que o mesmo ganha características de cometa ainda longe do Sol quando passa por uma espécie de portal.

    Analisando o fato, cientistas americanos, liderados pelo astrônomo Gal Sarid, descobriram que outros centauros passam pelo mesmo "portal" e se transformam em cometas, publicou a análise o site da UCF.

    "O que descobrimos, o modelo de porta de ligação como 'berço de cometas', mudará nossa forma de pensar sobre a história dos corpos gelados", disse Sarid.

    Além disso, os pesquisadores perceberam que os centauros não passam muito tempo na zona descoberta.

    Muitos deles entram no Sistema Solar através do portal e se tornam em cometas da família de Júpiter.

    Mais:

    Toda a glória do espaço: imagens vencedoras do concurso mundial de astrofotografia
    VÍDEO gravado por sonda espacial exibe cometa sendo 'devorado' pelo Sol
    Cientistas detectam estrelas que podem lançar luz sobre 'megaestrutura alienígena'
    Tags:
    portal, espaço, Sistema Solar, cometa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar