23:50 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Estrela de nêutrons

    Astrônomos detectam maior estrela de nêutrons já vista no Universo

    © NASA . CXC / University of Potsdam/ L. Oskinova
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    120
    Nos siga no

    A estrela tem uma massa 2,14 vezes maior que a do Sol e está concentrada em uma esfera de aproximadamente 25 quilômetros de diâmetro.

    Uma equipe de astrônomos norte-americanos identificou a estrela de nêutrons mais massiva já registrada.

    De acordo com o estudo publicado na revista Nature Astronomy, a estrela J0740 + 6620 foi detectada há aproximadamente 4.600 anos-luz da Terra.

    Sua massa é 2,14 vezes maior que a massa do Sol e está concentrada em uma esfera de aproximadamente 25 quilômetros de diâmetro. Suas medidas poderiam representar o quão massivo e compacto seus limites podem ser, sem se tornar um buraco negro.

    Estrelas de nêutrons são formadas quando grandes estrelas explodem e partem em pequenas esferas. Estes objetos são os restos estelares mais densos que conhecemos, além dos buracos negros.

    ​Astrônomos detectam a maior estrela de nêutrons do Universo.

    A J0740 + 6620 é um pulsar, um tipo especial de estrela de nêutrons que emite raios luminosos de radiação a partir de seus polos magnéticos. Apesar da distância dela, os cientistas podem observá-la devido aos seus polos estarem voltado para a Terra.

    Além disso, o pulsar possui uma estrela companheira que, segundo os cientistas, é uma anã branca, que também é uma remanescente estelar, não tão densa como as estrelas de nêutrons ou buracos negros.

    Um pulsar - estrela de nêutrons muito pequena e muito densa
    © AP Photo / NASA, JPL-Caltech
    Um pulsar - estrela de nêutrons muito pequena e muito densa

    A equipe de astrônomos observou este sistema binário de 2014 a 2019 utilizando o telescópio Green Bank, da Virgínia, nos EUA.

    Os pesquisadores puderam calcular a massa do pulsar devido às suas interações com sua companheira anã branca. Conforme os objetos orbitavam entre si, sua imensa gravidade deforma o espaço que os rodeia, distorcendo os pulsos radiantes emitidos pela J0740 + 6620.

    A luz do pulsar viaja um pouco mais longe como resultado desta distorção, que é um fenômeno chamado Atraso de Shapiro. O nome faz referência ao astrofísico Irwin Shapiro, que descreveu o fenômeno pela primeira vez em 1964.

    A equipe então utilizou o pequeno atraso de tempo para estimar a massa da anã branca, que, por sua vez, permitiu calcular a massa do pulsar, revelando que o J0740 + 6620 é a maior estrela de nêutrons conhecida pelos cientistas.

    Mais:

    Astrônomos descobrem novo planeta orbitando estrela da Via Láctea
    Existência de buracos negros medianos pode ser comprovada por estrela 'fugitiva'
    Morte brilhante: Hubble capta imagem de estrela moribunda
    Tags:
    cientistas, pesquisa, estudo, pulsares, nêutrons, estrela anã, estrelas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar