05:28 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Chanceleres do BRICS, da esquerda para a direita: Wang Yi (China), Sergei Lavrov (Rússia), Ernesto de Araújo (Brasil), Vijay Kumar Singh (Índia), Naledi Pandor (África do Sul) posam para foto coletiva no âmbito da reunião realizada no Rio de Janeiro (arquivo)

    Especialista: Brasil propõe ao BRICS agenda útil e que busca resultados concretos

    © Sputnik / Aleksandr Scherbak
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    372
    Nos siga no

    Sede do Fórum Acadêmico do BRICS, o Brasil tem buscado trazer os países do bloco para mais perto da população. Neste ano, o foco deve ser a inovação, segundo um representante do IPEA ouvido pela Sputnik.

    O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) está recebendo hoje e amanhã, em Brasília, o Fórum Acadêmico do BRICS, encontro que antecede a cúpula do grupo, a ser realizada em Brasília em novembro. Durante dois dias, especialistas de comunidades acadêmicas dos países-membros vão debater a agenda de desenvolvimento e cooperação do bloco.

    O evento tem como objetivo aprofundar a colaboração na área de pesquisas, reforçar as redes entre comunidades acadêmicas dos cinco países e fornecer aos seus líderes resultados de pesquisas empíricas. 

    ​De acordo com Ivan Oliveira, diretor de Estudos e Relações Econômicas e Políticas Internacionais do IPEA, os temas a serem debatidos nesse fórum são relevantes à presidência brasileira no bloco. Em entrevista à Sputnik Brasil, ele destaca que, nesse encontro, há uma busca por soluções, ou algo próximo disso, para problemas de cooperação dos BRICS nesses assuntos.

    "Neste fórum de 2019, nós temos seis mesas. Essas mesas são sobre temas como financiamento ao desenvolvimento, comércio e investimento, cooperação na área de ciência, tecnologia e inovação — que é, claramente, uma prioridade da presidência brasileira do grupo —, energia, cooperação para combate a ilícitos transnacionais — também é um tema bastante importante na pauta brasileira para o grupo — e cooperação em agricultura", disse ele à Sputnik Brasil. 

    ​Aproximando BRICS da população 

    Ainda para o especialista, que também é coordenador do Fórum Acadêmico do BRICS 2019, um tema bastante substantivo, de interesse do Brasil, a ser discutido intensamente nesse evento é o do aprofundamento da cooperação em inovação. Segundo ele, a cooperação na área de ciência, por exemplo, por meio de algumas plataformas criadas anteriormente, tem sido relativamente bem sucedida, mas ainda ocorre em uma escala reduzida.

    "Daí a importância dessa cooperação em inovação entre os BRICS, para se buscar um adensamento de relações econômicas que sejam, obviamente, úteis ao crescimento e desenvolvimento econômico dos países."

    Oliveira acredita que o Brasil tem buscado trazer os BRICS para próximo da população, e esse é um ponto fundamental: 

    "Fazer com que a agenda, de fato, seja útil, seja relevante, e traga resultados concretos. Essa é uma preocupação muito clara da presidência brasileira."

    Mais:

    Melhores fotos da semana em que chanceleres do BRICS se reuniram no Rio
    Brasil pode usar expertise de países do BRICS para ajudar combate ao terrorismo, diz especialista
    Brasil recorre ao Banco dos BRICS para projetos de infraestrutura
    Tags:
    inovação, tecnologia, ciência, cooperação, Brasília, IPEA, África do Sul, China, Índia, Rússia, BRICS, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar