08:45 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Habitantes se banham em uma fonte no parque Madrid Rio, em Madri, junho de 2019

    Guerra mundial poderia ser provocada por elevação da temperatura global?

    © Sputnik / Alejandro Martinez Velez
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    452
    Nos siga no

    Se a humanidade não reduzir as emissões de gás carbônico até 2035, metade da população do planeta morrerá das anomalias atmosféricas e a outra metade entrará em conflitos militares pelos recursos restantes.

    Se a humanidade não reduzir as emissões de gás carbônico até 2035, as temperaturas anuais vão aumentar em 4-4,5 graus Celsius até o fim do século XXI, avisam os cientistas. Isso significa que metade da população do planeta perecerá das anomalias atmosféricas incompatíveis com a vida, a outra metade entrará em conflitos militares pelos recursos restantes e começará uma guerra mundial.

    Não seria a primeira vez

    A extinção em massa de praticamente todos os seres vivos do planeta ocorreu pelo menos por cinco vezes. Uma delas foi a extinção dos dinossauros que aconteceu por causa da queda de um asteroide, mas as outras foram causadas por aumentos bruscos da temperatura.

    A elevação da temperatura anual em cinco graus Celsius, que teve lugar 252 milhões anos atrás, matou 96 por cento de todas as espécies marinhas e 73 por cento das espécies terrestres de vertebrados, escreve o jornalista científico Peter Brannen no seu livro "Os Fins do Mundo".

    Cientistas australianos consideram que, levando em conta o atual ritmo de aumento da temperatura, até ao fim do século o planeta vai aquecer esses perigosos 4,5-5 graus se a humanidade não resolver o problema das emissões de gás carbônico nos próximos 16 anos.

    Alguns cientistas pensam que o uso de energias renováveis, como torres eólicas, hidrelétricas, baterias solares, permitirá que o aumento da temperatura seja de dois graus Celsius até ao fim do século, o que é considerado relativamente seguro. Mas cientistas suecos, dinamarqueses e britânicos são mais pessimistas. Eles consideram que essas mudanças inofensivas do clima podem despertar processos incontroláveis pela humanidade. Trata-se do degelo do pergelissolo, do desaparecimento das florestas, o que provocaria inundações das áreas costeiras, da destruição dos recifes de coral e de graves danos na agricultura.

    Além disso, parte da humanidade vai enfrentar calor anômalo com níveis altos de humidade. O organismo não pode sobreviver nessas condições, por isso é muito provável que enormes áreas equatoriais se tornem impossíveis para viver.

    Display de farmácia mostra 37 graus Celsius, Marselha, junho de 2019
    © REUTERS / Jean-Paul Pelissier
    Display de farmácia mostra 37 graus Celsius, Marselha, junho de 2019

    Além disso, a probabilidade de choques térmicos vai aumentar. Segundo um grupo de cientistas internacional, de 2031 a 2080 as pessoas vão morrer com mais frequência das temperaturas altas. No Brasil a mortalidade devido ao calor vai crescer em 770 por cento, nos EUA em 400-525 por cento e na Europa em 400.

    O mundo à beira de uma guerra mundial

    Quando há 128 mil anos as temperaturas aumentaram bruscamente em dois graus Celsius, os neandertalenses tiveram que virar canibais. A elevação da temperatura mudou o meio circundante, ficou mais difícil caçar, as pessoas tiveram que completar suas reservas de proteína animal às custas de outras.

    Hoje é pouco provável que a elevação da temperatura possa tornar as pessoas canibais, mas especialistas afirmam que de 3 a 20 por cento dos conflitos estão acontecendo por causa das mudanças climáticas. As mudanças bruscas de temperatura e precipitação provocam violência – desde conflitos entre indivíduos até guerras em grande escala.

    Segundo o grupo de cientistas internacional, o calor pode afetar a bioquímica do cérebro – neurotransmissores que regulam as emoções são destruídos. Por outro lado, as temperaturas elevadas afetam o nível da agressividade humana. É por isso que a maior parte dos crimes e suicídios é registrada durante períodos de calor anormal.

    Mais:

    Por que fósseis de 20 milhões de anos achados na Antártica fascinam geólogos?
    Encontrada maneira surpreendente de tornar Marte habitável
    Satélite descobre lago de lava borbulhante no meio da gelada Antártica
    Tags:
    cientistas, clima global, temperatura
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar