13:44 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1151
    Nos siga no

    O campo magnético da Terra atua como uma barreira que a protege do vento solar e radiação. A nova descoberta permite analisar o que pode provocar a próxima reversão, se ocorrer.

    Uma antiga árvore, que oferece uma nova visão sobre a reversão do campo magnético da Terra por meio de seus anéis, foi descoberta na Nova Zelândia.

    A descoberta foi feita durante trabalhos de escavação para expansão de uma usina de energia geotérmica na ilha Norte da Nova Zelândia. Os operários atingiram a árvore, conhecida como kauri por seu nome maori, enterrada a 6 metros de profundidade, tendo 2,4 metros de diâmetro e quase 20 metros de comprimento.

    A datação por carbono revelou que a árvore viveu durante 1.500 anos, entre 41.000 e 42.500 anos atrás.

    A descoberta surpreendeu os cientistas, já que nunca foi encontrada nenhuma árvore com uma duração da vida que cobre completamente o período em que o campo magnético da Terra quase se inverteu. Nesse período os polos norte e sul magnéticos se deslocaram, mas não completaram a viragem.

    "Não há nada como isto no mundo. É o tempo necessário para que esse movimento ocorra, que é a coisa mais importante [...] Vamos explicar essas mudanças com muito mais precisão usando os anéis da árvore", disse Alan Hogg, da Universidade de Waikato na Nova Zelândia.

    Cientistas estão realizando a análise de amostras da árvore, que provavelmente oferecerá informações sobre o que esperar da próxima vez que tal evento ocorrer.

    "Teremos um aumento na radiação cósmica. Ela eliminará os satélites e poderá eliminar outras infraestruturas de comunicação", disse Hogg.

    O campo magnético da Terra é gerado pelo ferro existente no núcleo do planeta. Conforme se move, ele produz correntes elétricas que se estendem para o espaço. O campo magnético atua como uma barreira, protegendo a Terra do vento solar, que é um fluxo de partículas carregadas provenientes do Sol que poderia remover a camada de ozônio se isso atingisse a atmosfera.

    Campo magnético da Terra
    © Foto / NASA
    Campo magnético da Terra

    Os casos em que o campo magnético se inverte ou tenta fazê-lo enfraquecem-no, o que provoca uma maior penetração da radiação. Antes, os cientistas ligaram os eventos de extinção de espécies a inversões do campo magnético.

    Recentemente, os cientistas anunciaram que o polo norte magnético se moveu inesperadamente. Em vez de seguir de forma constante o sentido do Ártico canadense para a Sibéria, o polo acelerou tanto que os pesquisadores tiveram que atualizar o Modelo Magnético Mundial (WMM), uma representação do campo magnético da Terra que é usado pelos sistemas GPS em todo o mundo.

    Mais:

    Holandês capta em vídeo ônibus espacial secreto norte-americano
    Análise de DNA traz luz à origem de enigmático povo bíblico
    Múmias de 2 mil anos são descobertas no Egito junto à pirâmide mais antiga do mundo (Foto)
    Tags:
    Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar