00:34 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Marca de pterossauro

    Estudo traz novidade de bebês pterossauros nunca antes imaginada

    CC BY-SA 3.0 / Ballista / Pterodactylus kochi
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Paleontólogos descobriram recentemente fósseis na China e na Argentina que abriram ainda mais o leque de conhecimento sobre a biologia reprodutiva e embriologia dos pterossauros, informa revista Proceedings of the Royal Society B.

    Para realização da pesquisa, que foi publicada na revista científica Proceedings of the Royal Society B, especialistas examinaram o comprimento dos membros de embriões fossilizados, o tamanho e a forma dos ovos em centenas de fósseis e compararam os resultados com o crescimento dos pássaros modernos e dos crocodilos, podendo, assim, classificar os embriões de acordo com as fases de desenvolvimento.

    Além do mais, foram analisadas diferentes etapas de formação de ossos em nove espécies diferentes de pterossauros. Durante a análise, descobriram que um dedo especial – que corresponde ao quarto dedo da mão humana e é importante para a capacidade de voo em aves – endureceu juntamente com outros ossos essenciais antes do nascimento da cria, facilitando o pleno desenvolvimento do aparelho de voo antes mesmo de sair do ovo.

    Os pesquisadores reforçaram que, mesmo podendo voar depois de nascerem, não necessariamente os pterossauros não recebiam proteção dos pais contra predadores. "Nossa técnica mostra que os pterossauros eram diferentes das aves e dos morcegos, e que a anatomia comparativa pode revelar novos modos de desenvolvimento em espécies extintas", comentou um dos autores do estudo, Charles Deeming.

    Mais:

    Dinossauro nunca antes visto é encontrado nos EUA (VÍDEO)
    Primeiro dinossauro voador batia asas como galinha?
    Nova espécie de dinossauro gigante é descoberta na Argentina (FOTOS)
    Tags:
    paleontologia, cientistas, achado, dinossauro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar