03:14 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Aquecimento global no planeta (imagem ilustrativa)

    É previsto desaparecimento iminente da humanidade, diz relatório

    Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    5120
    Nos siga no

    Especialistas australianos do Centro Nacional de Restauração do Clima publicaram um relatório no qual concluíram que, devido às mudanças climáticas, a humanidade pode desaparecer até 2050.

    Segundo um dos autores, o aquecimento global causado pela atividade humana é a ameaça mais grave à vida na Terra após uma guerra nuclear. Assim, se os governos mundiais se recusarem a procurar fontes alternativas de energia, até 2030 as emissões de dióxido de carbono provenientes da queima de combustíveis fósseis poderão atingir os seus valores máximos, segundo relatório.

    De acordo com este cenário, até 2050, a temperatura média do ar aumentaria três graus Celsius, o que conduziria a um aumento dos danos causados pelo gelo, a uma seca grave e à perda de árvores na floresta tropical da Amazônia.

    Inundações e incêndios florestais continuariam ocorrendo em todo o mundo. Ecossistemas desapareceriam, transformando quase um terço da Terra em deserto. Além do mais, as mudanças climáticas também causariam graves conflitos armados em prol de recursos vitais, ocasionando também o surgimento de refugiados climáticos que corresponderiam a mais de um bilhão de pessoas.

    O relatório ainda diz que tudo isso conduziria ao "caos total" e "à morte da humanidade tal como a entendemos". Para evitar uma catástrofe, é necessário tomar medidas imediatas para transformar a economia mundial em um sistema com emissão nula de carbono, concluíram especialistas.

    Mais:

    Como frear o aquecimento global? Cientistas sugerem algo arriscado
    Cientistas avisam: aquecimento global ameaça humanidade com fome devastadora
    Geólogos preveem catástrofe vulcânica nos Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar