00:23 26 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Vista de Marte

    Metano pode ser um inesperado sinal de vida em Marte

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    360

    Pesquisadores há tempos atribuem considerável atenção e recursos na busca por metano em Marte.

    Inclusive, a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Roscosmos deslocaram uma sonda especial para o Planeta Vermelho a fim de encontrar o composto juntamente com o vapor d'água e encontrar pistas sobre sua origem.

    Uma equipe internacional de cientistas compara as observações realizadas pelos dois veículos espaciais em dias diferentes em 2013, o que confirmou a presença de metano em Marte, seguindo mais de uma década e meia de especulação depois que uma sonda da ESA descobriu a existência de elementos residuais do composto em Marte.

    Grade criada para ajudar a determinar a fonte de vestígios de metano encontrado em Marte
    Giuranna et al., Nature Geoscience, 2019
    Grade criada para ajudar a determinar a fonte de vestígios de metano encontrado em Marte

    O estudo, liderado por Marco Giuranna do Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, examinou as medidas do rover Curiosity da NASA e do veículo espacial Europe Mars Express recolhidas em junho de 2013, mostrando definitivamente a presença de quantidades residuais do composto na atmosfera sobre a cratera Gale, uma formação de 154 quilômetros de largura localizada ao longo da linha do equador de Marte e que se credita ser um lago seco.

    "Isso é muito excitante e totalmente inesperado", afirmou o Giuranna ao AFP, enfatizando que "duas linhas de investigação completamente independentes apontaram para a mesma área geral da origem mais provável de metano".

    Além de confirmar a presença de metano, os cientistas executaram modelos computadorizados a fim de descobrir sua origem, dividindo a região em torno da cratera Gale em 30 grades de 250x250 km².

    O metano provavelmente surgiu debaixo de uma formação rochosa, onde está congelado em forma de chapa sólida e esporadicamente liberado.

    Giuranna espera que os entusiastas pela vida em Marte não tirem conclusões precipitadas, observando que, por enquanto, o metano é um potencial "indicador de vida microbiana", que pode ser produzido por processos abióticos, que acontecem em planetas gasosos e gelados, incluindo Júpiter, Netuno, Saturno e Urano.

    De qualquer modo, o astrofísico declarou que o metano "pode adicionar a habitabilidade dos ambientes marcianos, como determinados tipos de micróbios que podem utilizar o metano como uma fonte de carbono e energia".

    Além disso, Giuranna notou que se grandes quantidades de metano forem encontradas, o composto poderia ajudar a "sustentar uma presença humana" em Marte, incluindo uma possível fonte de combustível, ambos para a construção e propulsor para veículos espaciais indo para a Terra. As descobertas de Giuranna foram publicadas pela revista Nature Geoscience.

    Mais:

    Sonda da NASA detecta 'múmia humana' em Marte (FOTO)
    Marte mostra 'diabos de poeira peludos' em novas FOTOS impressionantes
    Vida inteligente em Marte? Suposto objeto triangular é achado em solo marciano
    Tags:
    metano, gás, descoberta, cientistas, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar