07:48 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Erupção solar (imagem ilustrativa)

    Terra está em perigo? Cientistas registram aumento de erupções no Sol (FOTO)

    © Foto: skeeze/Pixaby
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    6222

    A atividade solar tem aumentado significativamente e o Sol está queimando “combustível” do ciclo anterior, comunicou o Laboratório de Astronomia Radiológica da Academia de Ciências da Rússia.

    "Um crescimento brusco da atividade solar está sendo observado nas últimas 24 horas nos monitores espaciais, que concedem dados sobre o fluxo de radiação de raios X do Sol", de acordo com comunicado da instituição científica russa.

    Entre 20 e 21 de março, foram avistadas três erupções de classe C sem consequências significativas para a Terra. É a primeira vez em meses que o "índice da atividade de erupções" ultrapassa o nível amarelo, ou seja, atingiu 3,5 pontos em uma escala de 10 pontos.

    Aumento de erupções no Sol, registrado em 21 de março de 2019
    Aumento de erupções no Sol, registrado em 21 de março de 2019

    Hoje os cientistas registraram uma erupção solar de classe C de 4,8 pontos. Entretanto, o 25º ciclo da atividade solar ainda não começou, segundo os especialistas. O Sol continua queimando "combustível" do ciclo anterior — campos magnéticos formados em cima da superfície da estrela e lançados para fora pelos fluxos de plasma junto com a energia excedente.

    "É justamente essa energia que é queimada em forma de erupções", ressaltaram pesquisadores que repararam um aumento "claramente visível" da atividade solar em imagens.

    Astrônomos esperam que o início do 25º ciclo da atividade solar venha a ser nos polos solares, e acrescentam que ainda não houve sinais do surgimento de novo ciclo.

    "É um mistério, porque os campos magnéticos do 24º ciclo continuam no Sol, sete anos depois do ciclo ter atingido seu máximo em 2012", assinalaram.

    Sendo significativamente intensas, as erupções solares podem causar danos a equipamentos espaciais, desde espaçonaves e instrumentos de diferentes satélites que orbitam próximo ao nosso planeta até inteiras redes de energia no planeta, particularmente durante os períodos de enfraquecimento do escudo magnético que normalmente protege a Terra da radiação solar e cósmica.

    Em 2011, a Academia Nacional de Ciências dos EUA calculou que a repetição de uma erupção solar tão intensa quanto à de 1859 poderia causar dois trilhões de dólares de danos iniciais e levar mais de uma década para ser reparada.

    Mais:

    'Rio' de 4.000 estrelas fluindo perto do Sol é apresentado em FOTO
    Vestígios de um 'apocalipse solar' antigo são encontrados no gelo da Groenlândia
    Programa espacial da NASA busca vida alienígena no 2º maior satélite do Sistema Solar
    Cientistas da NASA estão perplexos com misteriosas ejeções no 'asteroide do Apocalipse'
    NASA reporta explosão de meteoro equivalente a 11 bombas de Hiroshima (FOTOS)
    Tags:
    atividade solar, perigo, erupção solar, cientistas, Terra, Sol
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar