02:27 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Píton (foto de arquivo)

    Cobras podem curar epilepsia e asma? Essa garota prova que sim (VÍDEO)

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30

    Por incrível que soe, uma moradora da cidade russa de Chelyabinsk acredita que as cobras são capazes de curar muitas doenças, inclusive epilepsia e asma.

    A filha de Alyona Volkova filha sofre de epilepsia. Porém, quando a mulher começou a ter cobras em casa a filha sentiu melhorias. A mulher resolveu organizar cursos de tratamento para todos os que acreditam no poder curativo destes répteis.

    "Posso garantir 100% que ajudam muito, tratam. Qualquer animal. Gatos, cobras, cavalos – cada um tem seu jeito. Mas qualquer animal ajuda", disse Alyona quando foi entrevistada pela agência Ruptly. Ela acrescentou que a única condição para tal "comunicação" é que as pessoas não tenham medo do animal.

    Uma das alunas dos cursos, Zhenia Vinokurova, que sofre de asma, primeiro temia um pouco as cobras. Porém, com o tempo a garota se acostumou. Agora em casa de sua família há vários terrários.

    "Minha filha tem asma, ela tosse o tempo todo, faz inalações constantemente, e toma remédio direto, especialmente na primavera e outono […] Em casa começaram a aparecer estes animais e a minha filha começou a se acostumar a eles, e no último ano não foi nem uma vez internada", disse a mãe da garota, Lilia Vinokurova.

    De acordo com os médicos, tal efeito tem explicação. Durante a interação com uma píton, o corpo humano emite hormônios de felicidade, endorfina, mas também de estresse. Com base nisso, o corpo inicia processos que podem compensar e parar ataques de asma.

    Mais:

    Cobra se joga de teto e faz uma bagunça
    Árbitro inesperado: cobra venenosa impede jogo de futebol na Austrália (VÍDEO)
    Garotinha escova dentes de crocodilo enquanto cobra espera sua vez
    Tags:
    doenças, cura, tratamento, serpentes, cobras, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar