09:23 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Aranha (imagem referencial)

    Especialistas encontram fósseis de aranhas de 110 milhões de anos (FOTO)

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70

    O mais incrível é que estas aranhas conservadas na rocha, encontradas por paleontólogos na Coreia do Sul, ainda mantinham os olhos brilhantes.

    As aranhas fossilizadas com cerca de 2,5 centímetros foram encontradas em Jinju-si, na Coreia do Sul. O fato mais extraordinário é que seus olhos ainda brilhavam mesmo após tantos milhões de anos.

    "Devido ao fato de que essas aranhas foram preservadas em estranhas manchas prateadas na rocha escura, foi imediatamente possível notar que seus olhos eram muito grandes", afirmou Paul Selden, membro da equipe, enfatizando que se trata do chamado "tapete brilhante", uma membrana existente dentro do globo ocular de certos animais, capaz de refletir a luz que entra nos olhos, melhorando a visão noturna dos animais.

    Estes aracnídeos, de aproximadamente 2,5 centímetros de largura, viveram em nosso planeta há aproximadamente 110 milhões de anos e usavam esta capacidade da visão durante a caça noturna, segundo o estudo publicado pela revista Journal of Systematic Paleontology.

    Vale ressaltar que os fósseis de aranhas são muito raros, já que os animais de corpo mole como os insetos sofrem uma decomposição rápida, por isso muito raramente ficam fossilizados como acontece com o esqueleto dos outros animais.

    Segundo o pesquisador, normalmente, as "aranhas flutuavam, porém neste caso, elas se afundaram, o que as manteve longe das bactérias em decomposição".

    Além disso, as rochas onde os fósseis foram encontrados estavam cobertas com restos de pequenos crustáceos e peixes, o que sugere que uma floração de algas teria apanhado os fósseis, provocando o seu afundamento.

    A descoberta dos insetos conservados na rocha ajudou os cientistas a descobrirem pela primeira vez as características anatômicas das aranhas que viveram há milhões de anos. Já os olhos em forma de canoa do aracnídeo ajudará os pesquisadores na identificação da árvore evolutiva destes insetos.

    Mais:

    Quem se tornará comida, aranha gigantesca ou lagarto pequeno?
    Não há lugar mais aconchegante: aranhinhas 'repousam' nas costas da aranha mãe (VÍDEO)
    Aranha se alegra ao receber petisco e não perde tempo para guardá-lo
    Tags:
    rocha, aranhas, fóssil, descoberta, cientistas, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar