14:32 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    A sonda marciana InSight tira selfie com um câmera instalada no braço robótico

    Sonda da NASA instala 1º instrumento que estudará núcleo do Planeta Vermelho

    © NASA. NASA/JPL-Caltech
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    240

    O módulo de pouso InSight começou a realizar observações científicas completas dos abalos subterrâneos de Marte.

    Trata-se do sismógrafo SEIS (sigla em inglês para Experimento Sísmico para Estrutura Interior), que estudará o interior do Planeta Vermelho por meio de ondas sísmicas que atravessam as camadas marcianas. O instrumento foi coberto por um "revestimento" especial que o protege contra poeira, vento e vibração, comunica o serviço de imprensa do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA.

    "A [variação de] temperatura é um dos nossos maiores pesadelos […] Isso evita que o [sismógrafo] SEIS aqueça demais durante o dia ou se esfrie demais à noite. Em geral, queremos manter a temperatura o mais estável possível", disse Bruce Banerdt, chefe da missão InSight da NASA na Califórnia.

    O módulo de pouso InSight aterrissou com sucesso no início de dezembro de 2018 perto do equador de Marte, no lado oeste de uma planície lisa chamada Elysium Planitia. Ele tornou-se assim o herdeiro oficial de outra sonda geológica da NASA, a Phoenix Mars Lander, que aterrissou em Marte em maio de 2008 para encontrar vestígios de vida e água no seu solo.

    A bordo do módulo está instalado um sismógrafo, bem como um termômetro geofísico, que será colocado em uma perfuração de cinco metros para medir a temperatura das profundezas de Marte.

    Um dos dispositivos da sonda irá rastrear com grande precisão as flutuações da rotação do planeta, o que ajudará a determinar a distribuição da massa no núcleo do planeta e entender melhor sua estrutura interna.

    Somente no início de fevereiro é que o "braço" robótico do módulo de pouso tapou a sonda com uma cobertura de proteção especial para a proteger das alterações de temperatura, da areia e do vento marciano.

    A conclusão deste procedimento permitirá que Banerdt e sua equipe obtenham os primeiros dados "limpos" sobre as vibrações sísmicas do interior de Marte. O resultado dessa pesquisa permitirá entender melhor o núcleo e os processos geológicos do planeta, além de poder descobrir pelo menos um tremor gerado por impacto de asteroide.

    Na próxima semana, os cientistas vão começar a instalar o segundo instrumento principal do InSight, que é a plataforma de perfuração HP3. Este procedimento, de acordo com as estimativas atuais dos peritos da NASA, demorará muito mais tempo do que a ativação do SEIS e levará pelo menos dois ou três meses.

    O lançamento da sonda inicialmente estava planejado para março de 2016, mas devido a falhas, seu envio foi adiado para o primeiro semestre de 2018. Já no final de dezembro, o módulo abriu com êxito os painéis solares e instalou o sismógrafo em um dos pontos mais planos e seguros na sua proximidade.    

    Mais:

    Risco para planeta? NASA posta FOTO de enorme cavidade sob geleira da Antártica
    Satélite da NASA pôde ter captado sem querer avião do voo MH370 perdido no oceano (VÍDEO)
    Sonda da NASA se prepara para ouvir 'pulsação' de Marte (VÍDEO)
    'Viagem inteira em uma FOTO': NASA capta Terra, Lua e asteroide juntos
    Tags:
    Planeta Vermelho, planetas, superfície, módulo, sonda espacial, NASA, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar