00:51 26 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Uma parte pequena da Via Láctea

    Mapeamento 3D da Via Láctea mostra nossa galáxia nem um pouco plana

    Lehrstuhl für Astrophysik, RUB
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    151

    O mapeamento 3D de mais de mil jovens estrelas brilhantes da Via Láctea trouxe uma "uma vista sem precedentes" da nossa galáxia, que, ao invés de ser plana, é mais parecida com uma letra "S". É só o começo do mapeamento do nosso lar, segundo a revista Nature Astronomy.

    A Via Láctea é dona de 250 bilhões de estrelas, que, em sua maioria, estão localizadas nas entranhas da galáxia.

    "Pensamos geralmente que galáxias espirais se parecem com uma folha plana, como a galáxia de Andrômeda, que pode ser vista facilmente por telescópio", contou Richard de Grijs, astrofísico da Universidade Macquarie, Austrália.

    Estrelas jovens atraem atenção de astrofísicos porque a luminosidade cresce e diminui gradualmente em resultado de processos internos. A frequência e a força dessas pulsações dependem da luminosidade absoluta do astro, permitindo que astrônomos as usem para medir distâncias no espaço, inclusive para determinar distâncias de partes diferentes da Via Láctea.

    O número de jovens estrelas na parte central e distante da galáxia não é grande. Astrofísicos querem encontrar mais jovens astros para entender a estrutura central e os arredores distantes da galáxia, mesmo sendo uma missão difícil devido a uma manta de poeira e gás que cobre essas regiões da Via Láctea.

    Quatro anos atrás, Grijs e outros astrofísicos analisaram o Anel de Monóceros, que é um longo filamento de estrelas, que envolve a Via Láctea três vezes. A estrutura indicou a possibilidade de nossa galáxia não ser completamente plana, mas, ao invés disso, ser parecida com um "S".

    Graças à descoberta das jovens estrelas no "lado escuro" e no centro da Via Láctea, os astrofísicos foram capazes de provar a teoria do formato "S". Usando imagens do telescópio WISE, foram calculadas a distância exata e a posição de cerca de 1.500 estrelas para criação de um mapeamento 3D da galáxia.

    O formato da nossa galáxia é um tanto estranho, pois suas extremidades se entrelaçam em uma espiral amassada e comprimida, o que não pode ser visto na vizinha galáxia de Andrômeda, mas que é comum em outras galáxias espirais.

    Astrofísicos supõem que o formato é resultado da interação gravitacional entre os arredores e a densa região central — que gira em um ângulo completamente diferente das outras partes — da galáxia.

    A descoberta sem precedentes do disco da galáxia explica o comportamento das estrelas nos seus arredores e ajuda a determinar com precisão o posicionamento, idade e outras caraterísticas dos astros.

    Mais:

    Cientistas encontram sinais de rádio vindos de galáxia distante 1,5 bilhão de anos-luz
    'Bola de tênis na Lua vista da Terra': eis tamanho do buraco negro no centro da Via Láctea
    Estudo: galáxia se aproximando da Via Láctea poderia acabar com vida na Terra em colisão
    Descoberta nova aplicação da sonda Curiosity depois de 6 anos de missão em Marte
    NASA divulga VÍDEO de 'tarde suave em Marte' gravado por sonda espacial
    Tags:
    galáxia, estrelas, distância, estudo, astrônomo, Espaço, Via Láctea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar