05:53 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Big Bang (ilustração)

    Proposta interpretação inédita da teoria de Einstein: tempo existia antes do Big Bang

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    680
    Nos siga no

    A nova teoria propõe que a dimensão do tempo existiu antes de ocorrer a Grande Explosão, sugere o estudo citado no artigo recém-publicado no portal Science Alert.

    Segundo o modelo cosmogônico predominante na comunidade científica — a teoria do Big Bang — nosso Universo se encontrava inicialmente em estado de densidade e temperatura extremamente altas antes de começar a se expandir em tempo e espaço.

    A pesquisa revela que o deslocamento de luz, provenientes de galáxias distantes, é uma evidência da expansão do Universo, que necessariamente deveria ser menor para depois se expandir, de acordo com o astrônomo belga Georges Lemaitre.

    Esse processo, denominado singularidade, remontaria há 13,8 bilhões de anos, quando todo o espaço estava limitado a um volume extremamente pequeno. "Toda matéria do Universo teria sido empilhada", enquanto "a densidade teria sido infinita", escreveu o físico Stephen Hawking.

    O prestigiado físico teórico Albert Einstein propôs um dos modelos que explica a inexistência de matéria no espaço vazio, descrevendo a gravidade a partir de sua relação com a geometria inerente ao material que constitui o Universo.

    Entretanto, as soluções para as equações da relatividade geral permanecem incompletas na escala infinitamente pequena da singularidade, segundo teoremas propostos por Hawking e pelo matemático britânico Roger Penrose.

    Os autores do estudo em questão, Tim Koslowski, Flavio Mercati e David Sloan, publicado em março pela revista Physics Letters B, apresentaram um modelo diferente que reinterpreta o conceito existente de espaço em expansão, distinguindo o próprio espaço-tempo do "material" nele.

    "Todos esses termos" da relatividade geral "que são problemáticos, resultam ser irrelevantes para resolver o comportamento das quantidades que determinam como o Universo é visto de dentro", afirmou Sloan, da Universidade de Oxford (Reino Unido).

    Ao invés da singularidade, os autores do estudo chamam isso de "ponto de Janus". O modelo propõe que as posições relativas do material que compõe o Universo, efetivamente se achatariam em uma "panqueca" bidimensional à medida que voltamos no tempo. Ao passar pelo ponto de Janus, essa panqueca se tornaria 3D novamente, só que no sentido inverso, como se estivéssemos eu um universo "invertido".

    Os pesquisadores acreditam que isso poderia ter profundas implicações na simetria da física de partículas, talvez até produzindo um universo baseado em antimatéria.

    "Não apresentamos novos princípios e não modificamos a teoria da relatividade geral de Einstein — apenas a interpretação que é colocada sobre os objetos", disse Sloan, da Universidade de Oxford.

    Mais:

    Astrônomos descobrem 'nuvem fóssil' que poderia revelar mistérios do Universo
    Astrofísico adverte que 'Grande Ruptura' cósmica destruirá e reciclará Universo
    Hubble transmite fotos que ajudarão a desvendar um dos maiores mistérios do Universo
    Geólogos acham universo imenso de 'bactérias zumbis' nas profundezas da Terra
    Tags:
    espaço-tempo, galáxias, expansão, Big Bang, Stephen Hawking, Albert Einstein, Espaço, Universo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar