04:21 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    A impressão dum artista do asteróide que matou os dinossauros

    Ameaça de fora: NASA adverte sobre aproximação de 2 asteroides enormes

    © Foto: NASA/Don Davis
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    72022

    A agência espacial norte-americana advertiu sobre existência de dois asteroides enormes de até 120 metros de diâmetro que representam perigo para a Terra.

    O primeiro corpo celeste a se aproximar do nosso planeta será o chamado 2009 WB105. Segundo cálculos científicos, seu diâmetro varia entre 53 e 120 metros.

    Embora as estimativas mostrem que o asteroide não deve colidir com a Terra, especialistas da NASA planejam estudar trajetória do corpo celeste pela proximidade ao nosso planeta.

    De acordo com cálculos, no momento de maior aproximação, este corpo celeste se encontrará a 6 milhões de quilômetros da Terra que, em escala espacial, é uma distância curta. Além do mais, pesquisadores descobriram que horas depois outro asteroide relativamente grande se aproximará do nosso planeta.

    A NASA está descobrindo mais e mais corpos celestes perto da Terra, aumento preocupação de um deles afetar negativamente nosso planeta.

    O pesquisador da Universidade de Cardiff, Iain McDonald, citado pelo jornal IBT, está convencido de que o impacto é inevitável e é apenas uma questão de tempo. Segundo ele, colisões destrutivas com asteroides já ocorreram no passado e acontecerão novamente no futuro.

    Obviamente, notícias sobre atividade de asteroides atraíram a atenção de fãs de teorias da conspiração. A maioria deles acredita que o crescente número de asteroides seja um sinal do próximo apocalipse.

    Mais:

    NASA revela novos detalhes sobre o enigmático asteroide Oumuamua (VÍDEO)
    Asteroide deixa cientistas perplexos com sua superfície incomum (FOTOS)
    Terráqueos devem recear asteroide que está se aproximando?
    Asteroide com aparência macabra está se aproximando da Terra
    Tags:
    colisão, perigo, asteroide, NASA, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik