01:07 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Nuvens sobre a Antártida

    Fonte de energia enigmática é encontrada debaixo do gelo antártico

    CC0 / 12019/Pixaby / Antártida
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    293

    Um grupo internacional de pesquisadores detectou uma grande fonte de energia geotermal debaixo do gelo na região Leste da Antártida. O achado pode ser uma das razões do derretimento dos gelos do continente.

    Para sondar o gelo, os cientistas usaram um avião especial com um radar que permite registrar os processos que decorrem à profundidade de três quilômetros. Os resultados da análise, citados pelo portal Science Alert, mostram que o gelo na área citada se derrete de baixo para cima, enquanto a água criada escorre para lagos subterrâneos.

    De acordo com o investigador Tom Jordan, do Serviço Antártico do Reino Unido, o processo observado pode ter existido por milhares ou até milhões de anos, mas, ao mesmo tempo, ele não afeta a estrutura da superfície.

    "Porém, no futuro o excesso de água nas profundezas pode tornar essa região mais sensível a fatores externos, tais como as mudanças do clima", avisou.

    Os especialistas chegaram à conclusão que uma outra razão do derretimento do gelo é a ação de rochas radioativas e da água quente expelida da crosta terrestre.

    Anteriormente, um grupo internacional de geofísicos acharam debaixo do gelo antártico vestígios de continentes antigos. Os pesquisadores estabeleceram que algumas áreas do Leste da Antártida estão conectadas com o antigo supercontinente Gondwana que incluía a África, a Índia, a Austrália e a América do Sul. Este continente, segundo se considera, se formou uns 750-540 bilhões anos atrás e se dividiu há cerca de 180 bilhões.

    Mais:

    Cientistas desvendam papel dos lagos subglaciais na Antártida
    NASA encontra na Antártida 2º iceberg retangular perfeito (FOTO)
    NASA mostra iceberg retangular perfeito na Antártida
    Tags:
    derretimento, gelo, glaciar, Reino Unido, Antártida
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik