01:47 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 65
    Nos siga no

    Uma equipe de pesquisadores descobriu como os cânions na superfície de Marte foram formados.

    O resultado da pesquisa foi publicado em um artigo na revista Geology

    Resumindo o estudo liderado pelo especialista em geociências Tim Goudge, o portal Phys.org explica que, há bilhões de anos, a água fluía através da superfície marciana, formando rios que desaguavam em crateras e vastas depressões, dando origem a lagos e mares. Às vezes os lagos recebiam tanta água que transbordavam e causavam "inundações catastróficas", levando à formação rápida de cânions, provavelmente em questão de semanas. 

    O portal observa que os cientistas já sabiam que as centenas de crateras marcianas estiveram em certa época cheias de água e que elas têm cânions de saída com centenas de quilômetros de extensão. No entanto, ainda não se sabia se os cânions foram esculpidos gradualmente ou se foram formados de modo repentino por causa das inundações. 

    Para chegar a essas conclusões, a equipe examinou fotos de alta resolução capturadas pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter, com foco em 24 paleolagos e seus cânions de saída. Os cientistas descobriram uma correlação entre o tamanho do cânion e o volume de água que seria liberado durante uma grande inundação. Se o cânion tivesse sido esculpido gradualmente ao longo do tempo, provavelmente essa relação não se manteria, afirma o estudo. 

    Segundo Goudge, essas descobertas sugerem que uma série de processos geológicos catastróficos podem ter desempenhado um papel importante na formação da paisagem de Marte e de outros planetas.

    Mais:

    NASA diz que humanos podem pousar em Marte em 25 anos
    Colonização ou contaminação de Marte? Presença humana seria uma ameaça ao Planeta Vermelho
    Força Espacial: Musk defende que os EUA tenha bases na Lua e em Marte
    Tags:
    inundações, cratera, água, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar