03:32 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    DNA (imagem referencial)

    Apoiando Stephen Hawking, cientista prevê divisão de humanos em fracos e superpoderosos

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    670

    O livro "Breves Respostas para Grandes Questões" (em tradução livre) é a última obra de Stephen Hawking publicada recentemente. Em um dos capítulos, o famoso físico advertiu a humanidade sobre o provável surgimento de super-humanos com DNA alterado, que poderiam ser ameaça a quem não tiver "superpoderes".

    Em entrevista à Sputnik China, o pesquisador da Universidade Duke, Tyler Allen, especializado em mecanismos moleculares de células cancerígenas, avisou que o surgimento de pessoas com supercapacidades pode vir a dividir a sociedade em duas subespécies, onde uma irá dominar a outra. 

    "Teoricamente, em breve, talvez seja possível modificar o código genético de seres humanos para criar chamados assim super-humanos que teriam características alteradas para serem mais inteligentes, mais fortes e mais rápidos. Talvez, como resultado, a sociedade será dividida em duas subespécies, onde uma dominaria a outra", assinalou o cientista.

    "Entretanto, acredito que a humanidade ainda esteja longe disso. Por enquanto, nenhum país civilizado realizou testes genéticos em humanos. Sendo uma comunidade global, devemos nos juntar para debater as questões de regulamento de uma possibilidade potencial de se mexer com genes humanos", acrescentou o cientista.

    Quando perguntado sobre o medo diante das prováveis consequências destas modificações "para o melhor", Allen explicou por que, a seu ver, não devemos temê-las.

    "Acredito que não devemos ter medo de descobertas científicas. Só devemos estar cientes das consequências acarretadas por nossas invenções, para que elas sirvam para o bem de todos. É importante levar em consideração não somente a situação atual, mas olhar para décadas adiante", ressaltou.  

    Stephen Hawking é considerado por muitos um gênio único e o físico mais brilhante desde Albert Einstein. O cientista foi o primeiro a estabelecer uma teoria da cosmologia explicada por uma união da teoria geral da relatividade e da mecânica quântica. Ele foi um partidário vigoroso da interpretação de múltiplos mundos da mecânica quântica.

    O físico britânico morreu no dia 14 de março, em Cambridge. Os restos mortais de Stephen Hawking foram enterrados na Abadia de Westminster, ao lado de cientistas como Isaac Newton, Charles Darwin, J.J Thompson e Ernest Rutherford.

    Mais:

    'Viajantes no tempo' poderão comparecer ao funeral de Stephen Hawking
    Stephen Hawking previu fim do universo 2 semanas antes de morrer
    Tags:
    mutação, genes, testes, DNA, Stephen Hawking
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik