12:43 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Irlanda

    Historiador supostamente encontra cidade perdida de Atlântida perto da Irlanda

    CC BY 2.0 / Giuseppe Milo
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    5132

    Segundo um historiador britânico, uma ilha perto da Irlanda, que foi marcada em praticamente todos os mapas dos séculos XVI e XVII da região e que foi descartada como um erro mais tarde, poderia ter abrigado as ruínas da cidade perdida.

    O historiador britânico Matt Sibson anunciou que ele poderia ter achado a localização da cidade lendária de Atlântida, que, segundo ele, estava situada perto da costa da Irlanda. 

    Em uma entrevista exclusiva ao The Daily Star, Sibson explicou que a enigmática cidade perdida descrita na "República" de Platão poderia ter estado localizada na Frislândia — uma ilha fantasma que aparecia em praticamente todos os mapas do Atlântico Norte a partir de 1560  a 1660, e foi considerada como um erro.

    "[A Frislândia] foi mostrada em tantos mapas no século XVI e XVII  e depois desapareceu — não pode ser um erro. Está localizada a noroeste da Irlanda e há várias ilhas menores ao seu redor. E ainda pode ser observada em ferramentas modernas para mapeamento no fundo do mar, perto das ilhas Faroé", disse Sibson ao jornal.

    Entretanto, o historiador admitiu que sua descoberta também levanta várias questões.

    "Algumas pessoas apontam que havia dois quilômetros de gelo lá, mas há uma lacuna de mais de mil anos em que o gelo derreteu entre 14.700 a.C. e 12.900 a.C", disse ele.

    O historiador também sublinhou que Platão escreveu sobre os elefantes na Atlântida, teorizando que o filósofo da Grécia Antiga poderia referir-se a mamutes peludos.

    Mais:

    'Soberania em risco': cientista denuncia desmonte da Ciência no Brasil
    Eventos incomuns no céu: cientista explica de onde surgem OVNIs
    Cientista político: mísseis S-300 na Síria alarmam Israel
    Tags:
    cientistas, mistério, Atlântida, Irlanda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik