21:54 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Altar de quase 1,5 mil anos encontrado no sítio arqueológico maia La Corona, localizado no departamento guatemalteco de Peten, em 12 de setembro de 2018

    Altar de quase 1,5 mil anos revela detalhes surpreendentes da civilização maia (FOTOS)

    © AP Photo / Oliver de Ros
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1120

    A peça, chamada de Altar 5, que havia sido descoberta em 2017, foi somente apresentado por arqueólogos na Guatemala na quarta-feira (12).

    Com a descoberta, revelou-se a relação que existia entre a "Dinastia da Serpente", da cidade de Kaanul, e o reino rival de Tikal — um dos principais centros urbanos pré-colombianos da civilização maia, relata a mídia local, Prensalibre.

    Quando foi encontrado, o monumento estava preso entre as raízes de uma árvore sob os restos de um templo, levando quase um ano para que os arqueólogos conseguissem extrair a enorme peça de calcário e a levassem depois para a capital, Cidade da Guatemala.

    Segundo os especialistas, é a peça mais antiga encontrada até hoje neste sítio arqueológico do período clássico maia.

    O altar agora está em exibição no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia, informa a AP.

    Visitantes observam altar esculpido de quase 1.500 anos no sítio arqueológico maia La Corona, localizado no departamento guatemalteco de Peten, no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia na Cidade da Guatemala, em 12 de setembro de 2018
    © AP Photo / Oliver de Ros
    Visitantes observam altar esculpido de quase 1.500 anos no sítio arqueológico maia La Corona, localizado no departamento guatemalteco de Peten, no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia na Cidade da Guatemala, em 12 de setembro de 2018

    O especialista em hieróglifos e iconografia, David Stuart, explica que o altar tem o retrato esculpido do governante de Tikal, Chak Took Ich'aak, que representa ele sentado em um trono e segurando uma cobra com duas cabeças.

    Trata-se do primeiro retrato conhecido deste personagem, que governou outra cidade 20 anos depois da data gravada na pedra. Tal fato destaca a dinâmica política entre os reinos naquela época.

    "Sabia-se que um ataque coordenado [da dinastia Kaanul] foi realizado contra Tikal para conseguir vencê-los em 562 d.C. Este monumento mostra mais uma parte do processo de estabelecimento de alianças", disse Daniel Aquino, diretor do museu.

    Altar de quase 1,5 mil anos encontrado no sítio arqueológico maia La Corona, localizado no departamento guatemalteco de Peten, em 12 de setembro de 2018
    © AP Photo / Oliver de Ros
    Altar de quase 1,5 mil anos encontrado no sítio arqueológico maia La Corona, localizado no departamento guatemalteco de Peten, em 12 de setembro de 2018

    "Já em 540 d.C., havia-se feito um acordo matrimonial entre uma princesa do reino Kaanul e o mencionado governante, que comemora o fim do período do calendário com a dedicação desse altar", concluiu.

    Mais:

    Segredo do colapso da civilização maia é descoberto no fundo de lago no México
    Foi encontrado túmulo mais antigo de governante maia na Guatemala
    Como civilização maia conseguiu sobreviver 2 vezes ao fim do mundo?
    Tags:
    civilização, arqueólogos, maias, cidade antiga, indígenas, Guatemala
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik