13:51 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Homem e mulher na cama

    Há algo muito perto de você capaz de aniquilar sua vida sexual

    © Foto : Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    4111

    Cientistas da Universidade de Delaware (EUA) descobriram que pessoas que têm televisão em casa tendem a praticar 6% menos sexo durante a semana do que as que não têm.

    Os resultados do estudo, publicados no portal National Bureau of Economic Research, mostraram que pessoas em 80 países do mundo estão prontas para substituir interações humanas pela companhia de um "amigo" eletrônico. Enquanto a televisão se associa em geral "à mortalidade da vida sexual", os smartphones podem ser seus verdadeiros assassinos.

    O estudo não é o primeiro a analisar os hábitos sexuais da geração atual. Anteriormente, uma investigação apontou que, em 2010, uma pessoa tinha sexo em média três vezes por mês, enquanto em 1990, o sexo era praticado ao menos cinco vezes em um período de 30 dias.

    Segundo os autores do estudo, as pessoas vêm reclamando que são os smartphones que matam a vida sexual.

    "Nosso estudo abrange a população de países com rendimento médio e baixo com entrevistas realizadas maioritariamente por volta de 2010 antes de os smartphones se tornarem tão comuns. Em países onde smartphones são onipresentes, estes podem ser verdadeiros assassinos da vida sexual", sublinharam os pesquisadores.

    Os resultados da pesquisa demonstram também que a idade ou o nível educacional não influenciam na frequência com que um usuário de televisão costuma praticar sexo.

    Mais:

    Cidade mexicana autoriza sexo nas ruas: que riscos apresenta nova lei?
    Sexo oral: riscos ocultos por trás do prazer
    Tags:
    assassino, smartphones, televisão, sexo, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik