10:51 18 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Lançamento de foguete portador Soyuz-FG transportando a nave Soyuz MS-04 do cosmódromo de Baikonur

    Rússia diz que após fim do contrato de cooperação não transportará astronautas da NASA

    © Sputnik / Aleksei Filippov
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    21500

    A cooperação russa para transporte de astronautas estadunidenses à Estação Espacial Internacional se iniciou após o encerramento do programa do Ônibus Espacial Shuttle pela NASA, em 2011.

    O encerramento do programa de cooperação para transporte de astronautas foi comunicado pelo vice-primeiro-ministro russo, Yuri Borisov.

    Com o final da cooperação, a Rússia não transportará mais os astronautas da NASA à Estação Espacial Internacional a partir de 2019, quando o programa será encerrado oficialmente. Segundo Borisov, a decisão respeita ao contrato com a NASA sobre transporte de astronautas em naves espaciais Soyuz MS, que tem seu encerramento previsto para abril do próximo ano. Além disso, o custo das operações de espaçonaves russas com astronautas americanos tem variado de 91 a 335 milhões de reais por cada lugar.

    A Rússia ainda está projetando o lançamento do Science-Power Module-1 (SPM-1), que é um módulo planejado para chegar à Estação Espacial Internacional em 2022. Além disso, está prevista também a realização de voos de teste de um veículo de transporte tripulado de nova geração no Soyuz-5 de classe média, previsto para 2024.

    Já os EUA estão trabalhando na substituição dos ônibus espaciais por novos veículos espaciais tripulados, que é o caso do SpaceX Dragon, que poderá ser utilizado para o transporte de cargas ou uma tripulação de até sete pessoas. A empresa SpaceX planeja o envio de missões a partir de 2019.

    Mais:

    China lança estação espacial Tiangong em 2022 e poderá receber astronautas estrangeiros
    NASA divulga FOTO da 'fronteira' do nosso Sistema Solar
    Tags:
    espaço, espaçonave, cooperação, astronautas, Roscosmos, NASA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik