03:43 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Eta Carinae, maior estrela da Via Láctea

    Saiba como surgiu a misteriosa estrela imortal

    © Foto: NASA, ESA, and the Hubble SM4 ERO Team
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30

    Astrônomos norte-americanos da Universidade do Arizona e do Instituto de Pesquisas Espaciais explicaram como a estrela de Eta Carinae sobreviveu a uma série de explosões entre os anos de 1837 e 1856, durante a qual a energia foi comparável a uma supernova.

    Os resultados da pesquisa foram relatados no Phys.org.

    A Eta Carinae, que está a 7,5 mil anos-luz distante da Terra, é uma estrela dupla variável. Um dos componentes é o brilho azul hipergigante com peso de 150 a 250 massas solares. Ela é instável e periodicamente perde parte da sua massa e, no futuro, provavelmente se tornará uma poderosa supernova. Desde 1837, a Eta Carinae entrou no período de 18 anos, chamado de Grande Erupção, quando aumentou significativamente o brilho e, em seguida, tornou-se indistinguível a olho nu. No entanto, seu brilho foi novamente intensificado em 1887 e 1998.

    Os cientistas analisaram os ecos da luz da Grande Erupção da Eta Carinae. Este fenômeno acontece quando a luz de uma fonte é refletida a partir de outros objetos e chega ao observador com um atraso. Descobriu-se que a liberação da substância aconteceu 20 vezes mais rápida do que o esperado, o que significa que a explosão era típica de uma supernova, e não de um vento estelar forte que saía de uma estrela massiva.

    Segundo os cientistas, o aumento no brilho da Eta Carinae foi resultado da destruição da terceira estrela no sistema, quando foi lançada no espaço com 10 massas solares. Perto do fim de sua vida, um dos luminares se expandiu e perdeu parte significativa da massa, que fluiu para um vizinho que inchou e aumentou seu brilho. A estrela doadora se afastou de seu companheiro e começou a interagir com a segunda estrela externa, que foi lançada no sistema, para a hipergigante. Como resultado, as duas estrelas colidiram, o que deu origem à Grande Erupção.

    A estrela doadora sobreviveu e começa a girar em torno da hipergigante a uma frequência de 5,5 anos. Ao passar pela Nebulosa de Homúnculo, formada como resultado de uma explosão, ela aumenta de dimensão e perde o nível de brilho.

    Mais:

    Enigma astronômico: estrela bebê parece estar 'comendo' planetas (VÍDEO)
    Teoria da gravidade de Einstein é testada em condições extremas de estrela 'zumbi'
    Maior e mais perigosa estrela da galáxia expulsa raios cósmicos (VÍDEO)
    Tags:
    supernova, explosões, estrelas, NASA, Terra
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik