22:52 15 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Esfinge e Pirâmide de Quéops

    Explosão do passado: Grande Pirâmide egípcia é 'concentradora' de ondas de rádio

    CC0
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    6171

    Um grande arranha-céu de pedra construído sem computadores ou máquinas complexas – está é a Grande Pirâmide do Egito, que tem fascinado historiadores e arqueólogos durante séculos.

    Uma equipe de físicos alemãs e russos que estudam as propriedades da Grande Pirâmide, também conhecida como Grande Pirâmide de Gizé, descobriu que a construção pode concentrar energia eletromagnética dentro de suas câmaras ocultas e focar ondas eletromagnéticas dentro da região substrata, segundo um estudo publicado na revista Journal of Applied Physics.

    Construída no planalto de Gizé, no terceiro milênio antes de Cristo pelo faraó Quéops, a Grande Pirâmide de 138,8 metros de altura é uma das maiores e mais altas estruturas construída pelo homem. 

    Nos últimos dois séculos, cientistas descobriram quatro câmaras dentro da Grande Pirâmide: em uma se especula haver os restos mumificados do próprio faraó Quéops; em outra, a de sua esposa; a terceira é considerada uma armadilha para invasores do túmulo, e a quarta câmara foi recentemente descoberta pelos físicos. 

    Havia dentro dos corredores que levam à Câmara do Rei estranhos canais e estruturas considerados pelos cientistas modernos como elementos de um antigo "sistema de segurança" que protegia o faraó contra os profanadores. 

    Andrei Yevlyukhin, coordenador de pesquisa da Universidade de São Petersburgo de Tecnologia da Informação, Mecânica e Ótica, disse que a Pirâmide de Quéops e suas "primas" são frequentemente atribuídas a todos os tipos de propriedades "mágicas", inclusive a capacidade de "concentrar energia cósmica" e outros fenômenos não científicos.

    No entanto, não faz muito tempo que os cientistas começaram a examinar as propriedades físicas reais da pirâmide procurando por câmaras ainda não descobertas com a ajuda de scanners de múons.

    Os cientistas supuseram que a Grande Pirâmide, assim como muitos outros objetos construídos pelo homem, poderia atuar como um ressonador focalizando e amplificando ondas proporcionais ao tamanho dos objetos em si.

    Neste caso em particular, os pesquisadores estavam examinando ondas dentro da faixa de 200 a 600 metros – o comprimento de onda em que muitas estações de rádio amador trabalham. 

    Criando um modelo de computador da Grande Pirâmide, os cientistas a bombardearam com ondas de rádio para avaliar como elas interagem com a pirâmide em sua totalidade e seus elementos.

    Conforme mostram esses cálculos, a pirâmide de fato irá interagir com as ondas de rádio "amadores", acumulando sua energia dentro da Câmara do Rei, redirecionando-a para a região do substrato onde a terceira câmara está localizada. Sobretudo afetará as ondas com um comprimento de 333 metros e 230 metros.

    Os autores afirmam que a Grande Pirâmide e suas "primas" podem interagir ainda mais intensamente com outros tipos de ondas, mas isso ainda precisa ser verificado.

    Além disso, os segredos de sua estrutura podem ser usados para criar nanopartículas que focalizam a luz, e não as ondas de rádio, o que ajudará na criação de computadores leves e outros "aparelhos do futuro".

    Mais:

    Egito pretende abrir misterioso sarcófago assustando internautas com iminente 'apocalipse'
    Invasão de insetos: 'praga do Egito' aterroriza mundo moderno
    Necrópole com 2.000 anos é descoberta no Egito (FOTOS)
    Cientistas escaneiam múmia egípcia e encontram algo inesperado (VÍDEO)
    Tags:
    pesquisa, segredos, ondas, pirâmide, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik