12:32 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    A galáxia Andrômeda

    Nebulosa de Andrômeda poderia 'engolir' nossa galáxia?

    CC BY-SA 4.0 / Adam Evans
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    340

    Cientistas norte-americanos descobriram que dois bilhões de anos atrás a galáxia M32 foi "engolida" pela nebulosa vizinha de Andrômeda. Por sua vez, especialistas russos preveem um destino semelhante para o nosso sistema estelar daqui a aproximadamente cinco bilhões de anos.

    Os pesquisadores dos EUA supõem que até hoje os vestígios da galáxia devorada são preservados no espaço. O núcleo da galáxia M32, composto principalmente por um enorme buraco negro e uma grande quantidade de estrelas jovens, continua existindo.

    Eles acreditam que um estudo mais aprofundado dos objetos remanescentes de uma galáxia de vasta dimensão explicará como esse cataclismo cósmico ocorreu e esclarecerá os modelos atuais da evolução da Via Láctea.

    Os especialistas russos notaram que grandes galáxias absorvem as menores com muita frequência. O cientista Mikhail Kuznetsov do Instituto Astronômico Sternberg explicou que a Via Láctea também inclui sistemas estelares "devorados", segundo o RT.

    "Com base no movimento da nebulosa de Andrômeda e da Via Láctea, nos fundiremos em uma galáxia elíptica gigantesca daqui a cinco bilhões de anos – até o fim da vida do Sol. Não permanecerão nem gás e nem poeira em nossa galáxia – elementos que formam as estrelas. Será um processo muito bonito: as galáxias começarão a formar estrelas intensamente, haverá muitas explosões de supernovas", disse Kuznetsov.

    O cientista observou que uma explosão de supernova poderia ameaçar a vida terrestre se ocorrer nas proximidades de nosso planeta, no entanto, segundo ele, isso é pouco provável.

    Mais:

    Astrônomos descobrem o objeto mais brilhante do Universo jovem (FOTO)
    Mais calor que no inferno? Conheça 5 lugares mais quentes do Universo
    Hubble tira FOTO detalhada do Universo primordial
    Tags:
    galáxias, supernova, Via Láctea, estrelas, explosão, Universo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik