21:27 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Stonehenge

    Nova teoria lança luz sobre mistério das pedras de Stonehenge (FOTO)

    © AP Photo / Alastair Grant
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 13

    Incontáveis especialistas debateram durante décadas como foram movidas as rochas gigantes de Stonehenge, especialmente a pedra do altar, de seis toneladas. Agora, dois cientistas britânicos propuseram uma nova hipótese sobre a origem dos megálitos e sobre a rota usada para transportá-los do País de Gales para a planície de Salisbury.

    Richard Bevins, do Museu de Gales, e Rob Ixer, da Universidade de Leicester, estudaram o trabalho do geólogo Herbert Henry Thomas, que por mais de 80 anos foi considerado quem melhor explicou a "viagem" realizada pelos megálitos. Entretanto, novas técnicas analíticas, incluindo as mais avançadas explorações de imagens, "revelam que os locais-chave que durante muito tempo se acreditavam ser a origem das pedras azuis de Stonehenge podem ser descartados", afirmaram os pesquisadores em seu estudo, publicado na revista Antiquity.

    ​De acordo com Bevins e Ixer, as maiores pedras vêm das planícies de Marlborough e as menores das montanhas Preseli, no condado de Pembrokeshire (no sudoeste do País de Gales). Entretanto, o arenito do altar é alheio a ambas as áreas, e "muito provavelmente" tem sua origem em Senni Beds, uma formação que se estende desde Llanelli, no País de Gales, até o condado de Herefordshire, na Inglaterra.

    Por outro lado, se as teorias anteriores sustentam que as pedras foram movidas por vias marítimas, os pesquisadores sugerem que os povos antigos poderiam tê-las transportado por uma "estrada de pedra", usando inicialmente jangadas e depois transportando-as com animais.

    Mais:

    Não foram homens: teoria inabitual revela como se moveram pedras de Stonehenge
    Um dos mistérios do Stonehenge sai à luz
    Arqueólogos finalmente descobrem para que foi construído o Stonehenge
    Tags:
    mistério, cientistas, Stonehenge, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik