05:01 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Logo de WhatsApp (foto referencial)

    3 mudanças curiosas que chegarão ao WhatsApp em breve

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    145

    O aplicativo popular de comunicação instantânea está se adaptando ao mercado e às necessidades de privacidade.

    A constante evolução das tecnologias e das maneiras de uso das redes sociais levou o WhatsApp a desenvolver novas funcionalidades. Espera-se que nos próximos meses os usuários do aplicativo popular possam passar a disfrutar de ao menos três novidades.

    Vale ressaltar que mais cedo descobrimos sobre que em breve a gente poderá ver se as nossas mensagens foram encaminhadas para terceiros.

    Chamadas de vídeo em grupo

    Acredita-se que esta nova função, anunciada na última conferência Facebook F8 para os criadores da rede, tenha um grande impacto nos usuários mais jovens. Graças a ela, será possível realizar chamadas de vídeo em grupo entre vários usuários do serviço.

    'Stickers': irmãos mais novos de emoji

    Já popularizadas em outras redes sociais como o LINE, o Facebook ou o Telegram, estes ícones de maior tamanho e maior intensidade expressiva chegam agora no WhatsApp.

    Pagamentos através do aplicativo

    Nos próximos meses, o WhatsApp incluirá uma possibilidade de envio de dinheiro entre usuários, o que poderia crescer no futuro até permitir transações comerciais. Todavia, não há ainda um projeto claro sobre a implantação desta função, embora esteja entre as mais esperadas pelos usuários.

    Outros aplicativos similares, como o WeChat, programa de comunicação mais utilizado na China, já contam com tal ferramenta.

    Mais:

    Arquivos não morrem: WhatsApp tem nova função que traz de volta muita coisa
    Privacidade: Lei europeia faz WhatsApp adotar idade mínima para usuários
    Mudança radical que você certamente não vai curtir está esperando WhatsApp
    Tags:
    emoji, aplicativo, Internet, Facebook, WhatsApp, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik