01:31 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Ativistas indígenas mapuches levantam seus bastões durante manifestação para exigir justiça a presos indígenas Mapuche, bem como por seus direitos indígenas e terras para suas comunidades em Santiago, Chile (foto de arquivo)

    Revelado por que antiga cultura indígena abandonou território ao norte do golfo do México

    © REUTERS / Ivan Alvarado
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Um estudo arqueológico permitiu datar a presença de uma cultura norte-americana desenvolvida de montes ao norte do golfo do México e explicar seu desaparecimento.

    A análise e a datação exata das numerosas pegadas deixadas no estuário do rio Mississippi por uma cultura indígena permitiram a um grupo de arqueólogos americanos estabelecer que eles deixaram a região por volta de 1400 d.C., devido a causas naturais.

    Os pesquisadores, ligados às Universidades de Illinois e Louisiana, observaram mudanças que experimentaram as populações durante séculos e atribuíram o êxodo à incursão de água salgada na área.

    O estudo, que terminou no ano passado e cujos resultados foram publicados em 22 de maio no site Science Daily, concentrou-se na área arqueológica de Grand Caillou (sul de Louisiana) e nos montes vizinhos. Os pesquisadores testaram suas hipóteses sobre como os povos indígenas escolhiam os acidentes geográficos para construir seus assentamentos e montes e afirmam ter ganhado muitos conhecimentos novos.

    Terra dos montes

    "Louisiana é incrivelmente importante na história das culturas antigas que construíram montes", disse Jayur Mehta, professor de antropologia da Universidade de Illinois, encarregado pelo estudo. "No que hoje são [o território] os Estados Unidos, a construção de monumentos e montes de terra começou na costa de Louisiana."

    Mais buras incisivas descobertas da cultura Plaquemine na área (C14 AD 1275 — AD 1650, mediana AD 1410) sul de Nova Orleans. #Aqueologia

    ​Os primeiros montes na América do Norte remontam aproximadamente ao ano de 4500 a.C., Grand Caillou é muito mais moderno; toda a cerâmica encontrada foi datada entre os anos 1000 e 1400 d.C. A datação por radiocarbono estabeleceu a evidência de que o local, que tinha no máximo cerca de 500 residentes, foi abandonado em torno desta última data.

    A própria cultura de Plaquemine (cidade localizada no estado de Louisiana), da qual o assentamento fazia parte, existiu até cerca de 1700, segundo Plaquemine Archaeology (2007). Desta maneira, teriam sido testemunhados os primeiros estágios da colonização europeia.

    Os habitantes sabiam como aproveitar o relevo para garantir a máxima durabilidade de seus montes e de outras construções. Segundo o professor Mehta, "em uma paisagem onde não há topografia, um ou dois pés (0,3 — 0,6 metros) pode ser uma grande diferença". Assim, o monte perto do assentamento foi montado em uma sedimentação do rio.    

    Mais:

    Astrônomos encontram traços de supervulcão marciano antigo (FOTOS)
    Arqueólogos encontram ruínas de templo antigo no meio de deserto (FOTOS)
    Americano encontra tesouro do século XVI em sótão antigo (FOTO)
    DNA humano mais antigo da África poderia mudar livros de história (FOTO)
    Tags:
    rio, assentamento, colonização, povos indígenas, pesquisa científica, causas naturais, desaparecimento, sítio arqueológico, êxodo, cultura indígena, índio, Illinois, Louisiana, Mississipi, México, Golfo do México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar