20:55 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Buraco negro renderizado pela NASA.

    Astrônomos descobrem 'monstruoso' buraco negro com o tamanho de 20 bilhões de sóis

    © AP Photo / M.Weiss/NASA
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    6123

    Usando dispositivos de ponta para observação do céu, astrônomos identificaram um buraco negro gigante catalogando-o como um "monstro" que come o equivalente em massa do nosso sol a cada dois dias.

    Astrônomos da Universidade Nacional Australiana (ANU) descobriram um buraco negro de maior crescimento no universo conhecido, um objeto celestial super-massivo a cerca de 12 bilhões de anos-luz de distância, provavelmente do tamanho de 20 bilhões de nossos sóis.

    Buraco negro
    © AFP 2018 / EUROPEAN SOUTHERN OBSERVATORY - M. KORNMESSER
    A pesquisa sugere que o objeto é tão grande e tem tanta gravidade que puxa para si o equivalente em massa de um sol a cada dois dias, irradiando energias que transformam a matéria de volta ao espaço em uma escala galáctica.

    "Se tivéssemos esse monstro sentado no centro da nossa Via Láctea, ele pareceria 10 vezes mais brilhante que a lua cheia. Apareceria como uma estrela incrivelmente brilhante que quase apagaria todas as estrelas do céu", afirmou o Dr. Christian Wolf, da Escola de Astronomia e Astrofísica da ANU, citado pelo Sciencedaily.com. "Provavelmente tornaria impossível a vida na Terra com as enormes quantidades de raios X que emanam dele".

    Também conhecido como quasar, a energia que explode no recém-descoberto buraco negro supermassivo é principalmente em comprimentos de onda ultravioleta, mas contém uma quantidade significativa de raios-x.

    "Esses buracos negros grandes e de rápido crescimento são extremamente raros, e temos procurado por eles há vários meses. O satélite Gaia da Agência Espacial Europeia, que mede pequenos movimentos de objetos celestes, nos ajudou a encontrar o buraco negro", disse. "Não sabemos como cresceu tanto, tão rapidamente nos primeiros dias do Universo", observou Wolf, acrescentando que os astrônomos estavam procurando ansiosamente exemplos adicionais do objeto raro.

    Buraco negro
    © AFP 2018 / EUROPEAN SOUTHERN OBSERVATORY - M. KORNMESSER
    Wolf observou que, dado seu brilho extremo, esses gigantescos buracos negros podem ser usados ​​como locais celestes para avançar no estudo da formação de elementos durante o período que se segue ao Big Bang.

    O objeto é tão brilhante que "os cientistas podem ver as sombras dos objetos na frente do buraco negro supermassivo", observou Wolf.

    Tags:
    buraco negro, Gaia, Escola de Astronomia e Astrofísica, Universidade Nacional Australiana, Sciencedaily.com, Agência Espacial Europeia (ESA), Christian Wolf, Via Láctea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik