16:20 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Pessoas trabalhando em notebooks em frente ao símbolo do Google em Hanover, Alemanha (foto de arquivo)

    Atualização nociva do Google rouba dados pessoais e contamina milhares de computadores

    © AP Photo / Jens Meyer
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    366

    Os especialistas da empresa Radware contaram sobre um programa nocivo que estava sendo divulgado junto com as atualizações oficiais para o browser Google Chrome.

    De acordo com eles, os hackers fizeram questão de difundir, através do Facebook, links para uma versão fictícia do YouTube, onde se propunha a instalação de uma atualização a partir da loja Chrome Web Store.

    Google Maps
    © AP Photo / Karly Domb Sadof
    Após baixar esses programas adicionais, os programas convertiam o computador em uma parte de botnet (rede de aparelhos contaminados) que roubava dados dos usuários do Facebook e Instagram. Além disso, o potencial do computador era usado para efetuar mineração clandestina de criptomoedas.

    A Radware frisa que, após detectar os programas nocivos, a Google logo apagou essas atualizações da loja.

    Desde finais de março, segundo cálculos da equipe, o programa conseguiu contaminar mais de 100 mil usuários em 100 países do mundo. Os maiores índices foram registrados na Venezuela, Equador e Filipinas.

    Mais cedo, foi revelado que os especialistas em informática detectaram um novo vírus que é capaz de roubar informações da maior parte dos mensageiros instantâneos e serviços de partilha de dados.

    O ficheiro nocivo, com o nome de com.android.boxa, foi detectado no aplicativo chinês Cloud Module. O blogue Trustlook assegura que o vírus coleta as informações dos aplicativos Telegram, Twitter, Viber, Facebook Messenger, Skype, Line e Weibo, entre outros.

    Mais:

    Fundador do Google revela 'lado tenebroso' da inteligência artificial
    Google e Facebook contribuem para a manipulação política?
    Google vs Pentágono: funcionários da empresa não desejam relações com militares
    Tags:
    hackers, aplicativo, vírus, Instagram, Telegram, Facebook, Google
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik