05:42 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Lago gelado (imagem referencial)

    Encontram lago misterioso de água tépida no extremo norte da Rússia (FOTOS)

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    2260
    Nos siga no

    Os habitantes de Ust-Avam, pequena localidade situada na península setentrional de Taimyr (região de Krasnoyarsk, Rússia), descobriram um lago de cerca de 30 metros de diâmetro com água tépida e cavernas nas margens.

    O diário Komsomolskaya Pravda comunica que essa massa de água, que apareceu recentemente, encontra-se perto da uma comprida fratura no solo entre os gelos da tundra, uma zona onde as temperaturas descem até —30˚C.

    Anomalia em Taimyr: no povoado de Ust-Avam apareceu um lago com grutas.

    Um habitante local, que foi o primeiro a inspecionar este fenômeno curioso, assegura que desde o seu aparecimento ele mudou: "Parece que o lago está se afundando debaixo da terra gradualmente".

    Segundo o especialista Vladimir Epifanov, membro do Instituto de Investigação Geológica, Geofísica e Mineralógica de Sibéria, na zona se produzem constantes processos geológicos em grande profundidade que causam efeitos como o deste lago.

    Ele também notou que o cheiro que sai do lago é "evidente", já que se trata de sulfeto de hidrogênio.

    Um lago invulgar apareceu na região de Krasnoyarsk

    A temperatura elevada da água no lago é fruto de ter estado a grande profundidade: nos primeiros 20 quilômetros da crosta terrestre, a temperatura aumenta entre 1º C e 3º C a cada 100 metros.

    Epifanov também destacou que estas falhas geológicas estão ligadas a fenômenos astronômicos e à gravidade e considera que o lago começou a se formar a partir do equinócio de 21 de março.

    Mais:

    Preso no gelo: veja beleza fria do maior lago russo
    'Quero me sentir próximo dos russos' - embaixador dos EUA na Rússia se banha na Epifania
    Conheça o 'mágico' lago russo situado em Kazan
    Tags:
    anomalia, água, mistério, lago, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar