01:22 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Esperma congelado, Reproductive Medicine Associates, Nova York

    NASA envia esperma humano ao espaço em pesquisa determinante para o futuro da humanidade

    Richard Drew
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    850

    A tripulação da Estação Espacial Internacional e pesquisadores da Terra ajudarão a determinar como o esperma se comporta na microgravidade, ajudando a responder dúvidas sobre a capacidade reprodução no espaço.

    De acordo com a NASA, o experimento faz parte do projeto Micro-11 que busca entender se o tempo as voos espaciais influenciam a saúde reprodutiva humana, particularmente na qualidade do esperma.

    Espera-se que o projeto descubra como viabilizar a concepção de bebês em condições de baixa gravidade. A equipe de pesquisa afirma que, na probabilidade de termos que deixar nosso planeta um dia, não resolver a questão colocaria o futuro da humanidade em risco.

    "Como planejamos viajar para além da estação espacial com pensamentos de colonização na Lua, em Marte e em outros corpos celestes, a questão de sobrevivência multi-geracional pode ocorrer — não apenas em animais, mas em humanos — é uma questão muito fundamental. Isso precisa ser abordado ", disse o pesquisador do Centro Médico da Universidade de Kansas, Joseph Tash que deve checar as alterações no esperma.

    A falta de gravidade desafia a capacidade de fundir um óvulo, embora o esperma possa se mover mais livremente na ausência de peso. "Atrasos ou problemas neste estágio podem impedir que a fertilização aconteça no espaço", segundo o site da NASA.

    Amostras de esperma para o experimento Micro-11 chegaram ao Kennedy Space Center da NASA, na Flórida, onde os pesquisadores as prepararam para o lançamento na Estação Espacial Internacional.

    Até agora, os mamíferos tiveram pouco sucesso na reprodução do espaço, ao contrário dos sapos, caracóis e salamandras. Em 2017, a NASA enviou espermatozoides de rato para o espaço exterior; as amostras congeladas sobreviveram a uma viagem de nove meses e ratos saudáveis ​​nasceram após o retorno à Terra.

    Amostras de esperma para o experimento Micro-11 em centro da NASA, na Flórida, onde os pesquisadores as prepararam para o lançamento na Estação Espacial Internacional.
    © NASA .
    Amostras de esperma para o experimento Micro-11 em centro da NASA, na Flórida, onde os pesquisadores as prepararam para o lançamento na Estação Espacial Internacional.

    Para a pesquisa recente, amostras congeladas de espermatozoides humanos foram lançadas a bordo de um foguete Falcon 9, desenvolvido Elon Musk. A tripulação de astronautas irá descongelá-los, ativá-los com produtos químicos especiais para fazê-lo se mover e esperançosamente poder fundi-lo com um óvulo.

    Quando os experimentos terminarem, o espermatozoide será misturado com conservantes e enviado de volta à Terra para análises.

    Tags:
    Micro-11, Falcon 9, EEI (Estação Espacial Internacional), Universidade do Kansas, Centro Médico da Universidade de Kansas, Kennedy Space Center, NASA, Joseph Tash, Elon Musk, Estados Unidos, Marte, Terra, Flórida, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik