01:23 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Lançamento do Falcon 9 da SpaceX (foto de arquivo)

    Cientistas culpam Elon Musk por criar enorme buraco na noosfera

    © AFP 2018 / Bruce Weaver
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    688

    Um grupo de cientistas analisou as consequências do lançamento do foguete Space X Falcon 9 que em agosto colocou um satélite taiwanês em órbita.

    De acordo com um estudo realizado por cientistas da Universidade Nacional de Taiwan, o lançamento do foguete Space X Falcon 9, que em agosto colocou o satélite taiwanês em órbita terrestre, causou o surgimento de um buraco de 900 quilômetros de diâmetro na noosfera, informou nesta segunda-feira (26) a edição Tech Times.

    Segundo os cientistas, o peso relativamente pequeno da carga tornou possível o lançamento quase vertical do foguete, em vez de curvo, que geralmente permite superar a força gravitacional com mais facilidade. 

    Como resultado, surgiu uma onda de choque circular (e não em forma de V) que, junto com a emissão de gases do motor, causou o surgimento de um buraco no plasma da ionosfera de 900 quilômetros de diâmetro. Segundo estimativas, o buraco permaneceu aberto durante várias horas.

    Os cientistas afirmam que se tratou da maior onda de choque ao longo de toda a história de lançamentos espaciais.

    Segundo os cientistas, tais rompimentos da ionosfera podem levar a falhas nos sistemas de GPS.

    A Space X é uma empresa norte-americana fundada e liderada pelo empresário Elon Musk. 

    Mais:

    Elon Musk ironiza Facebook e exclui páginas da Tesla e SpaceX da rede social
    Elon Musk anuncia criação de 'império mediático intergaláctico'
    Aventura de Musk: primeiros voos da nave 'marciana' começarão em 2019
    Tags:
    buraco, satélite, lançamento, Falcon 9, Space X, Elon Musk, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik