16:14 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Satélite no espaço (imagem referencial)

    Moscou e Pequim avançam na cooperação espacial, celebrando mais um acordo

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    11270

    A cooperação entre a Rússia e a China no âmbito da exploração do espaço com fins pacíficos está se desenvolvendo dinamicamente em conformidade com o plano acordado em novembro de 2017.

    Já em 3 de março de 2018, a Agência Federal Espacial da Rússia, Roscosmos, e a Administração Espacial Nacional da China (CNSA, na sigla em inglês), firmaram no âmbito do Fórum Internacional de Desenvolvimento Espacial, que se celebra em Tóquio (Japão), um acordo bilateral sobre os planos de cooperação para a exploração da Lua e do espaço profundo, assim como sobre a criação de um centro de dados sobre os projetos lunares.

    A respectiva informação é revelada em um comunicado publicado no site da agência. No documento, as partes expressaram sua disponibilidade para considerar a possibilidade de cooperar na missão russa para lançar a nave espacial orbital Luna-Resurs-1 (Luna-26) no ano de 2022, assim como na missão chinesa que pretende alunar no Polo Sul do satélite natural da Terra, planejada para o ano de 2023.

    Além disso, a Rússia e a China acordaram em criar um centro conjunto de recolecção de dados que se usarão nos projetos lunares e nos de exploração do espaço profundo. Ambas as partes estão dispostas a envolver neste trabalho organizações e empresas cientificas e industriais chinesas e russas, caso seja necessário.

    A colaboração entre Moscou e Pequim no campo da exploração espacial para fins pacíficos está se desenvolvendo a ritmos dinâmicos.

    Assim, em 25 de junho de 2016, foi firmado um acordo entre os governos russo e chinês sobre as medidas para proteger a tecnologia em relação à colaboração no campo da exploração e uso do espaço exterior com fins pacíficos e criação e operação de veículos de lançamento e de infraestruturas espaciais terrestres. Em 18 de dezembro de 2017, o acordo entrou em vigor.

    Além disso, em novembro de 2017, no âmbito da 22ª reunião dos chefes de governo da Rússia e da China, a Roscosmos e a CNSA assinaram um programa de cooperação no setor espacial para o período entre 2018 e 2022.

    Mais:

    De regresso do espaço: 'Palácio Celeste' chinês pode cair em breve
    Analista: Estados Unidos incentivam corrida armamentista para dominar espaço
    EUA planejam ataque do espaço com 'cajado de Deus'
    Tags:
    base orbital, satélite, acordo, espaço, Departamento de Cooperação Internacional da Administração Nacional do Espaço da China (CNSA), Roscosmos, Rússia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik