06:18 23 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Esqueleto na praia (imagem referencial)

    Revelado mistério dos esqueletos encontrados na zona arqueológica argentina (FOTO)

    CC0 / Pixabay
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    241

    Uma foto de restos humanos em sacos negros, encontrados em uma zona arqueológica na Argentina, suscitou uma onda de teorias nas redes sociais. O mistério finalmente parece ter sido resolvido.

    Os ossos em sacos negros encontradas em uma zona arqueológica protegida na península Valdés (Chubut, Argentina), "não são de pessoas desaparecidas", assegurou a arqueóloga Julieta Gómez Otero em entrevista à emissora de rádio local El Chubut, citada pelo canal RT

    A especialista explicou que 20 esqueletos correspondem a restos humanos de povos nativos, que foram analisados e registrados várias vezes.

    Segundo Otero, as ossadas foram encontradas no ano de 2012, e que duas destas têm cerca de 3 mil anos de idade.

    Os restos humanos embrulhados em sacos negros causaram polêmica pública logo após dois turistas terem os encontrado quando estavam passeando pelo litoral da península, declarada patrimônio da humanidade.

    Logo após serem publicadas no Twitter, as fotos viralizaram na Internet, dando espaço a infinitas teorias. Em particular, internautas acharam a informação suspeitosa, já que os ossos possuem 3 mil anos, enquanto as sacolas são feitas de um material moderno, ou seja, de plástico.

    A arqueóloga Otero explicou que os restos não foram perdidos, mas sim estudados e devolvidos ao lugar onde haviam sido encontrados.

    Informou também, que por respeito às comunidades indígenas, que consideram sagrado o lugar da descoberta, cientistas protegeram os ossos com sacos e cobriram com areia. Porém, as recentes tempestades e a ação do vento acabaram expondo as sacolas, concluiu.

    Mais:

    Misterioso túmulo com crânios sem mandíbulas é encontrado na Suécia (FOTO)
    Cenário fatal: geólogos predizem destruição total do Japão
    Tags:
    esqueleto, restos, descoberta, arqueologia, América do Sul, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik