02:27 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Peixes (imagem referencial)

    EUA estariam desenvolvendo técnicas com organismos aquáticos para detecção de submersíveis

    © Constance Abram
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    221

    Potencialmente, o mar é o lugar mais perigoso do ponto de vista militar, por poder esconder todos os tipos de embarcações submersíveis e drones subaquáticos. Detectá-los é tecnicamente custoso e, por esse motivo, o Pentágono está estudando novos métodos para fazer com que a vida marinha o ajude a resolver esta tarefa.

    A Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA, sigla em inglês) está considerando a viabilidade de usar organismos marinhos naturais e modificados para detectar a passagem de veículos subaquáticos, informou Engadget.

    O programa Persistent Aquatic Living Sensors (Sensores Vivos Aquáticos Persistentes), busca uma forma de "transferir" as respostas biológicas de peixes e plantas marinhas em dados utilizáveis para avisar sobre a presença de navios sem a necessidade de utilizar equipamentos caros e detectáveis no mar.

    Este sistema teria como objetivo a capacidade de distinguir objetos subaquáticos e transmitir dados para dispositivos a uma distância de até 500 metros.

    Pelo visto, caso o projeto seja bem-sucedido, a Marinha dos EUA poderia capturar ou destruir dispositivos inimigos sem usar grandes recursos para isso.

    Mais:

    Por que Trump anuncia modernização do arsenal nuclear dos EUA justamente agora?
    Quais são os planos dos EUA em caso de possíveis guerras com Rússia e China?
    Tags:
    plantas, drones, peixes, submarino, estudo, DARPA, Pentágono, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik