10:55 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Plataforma de petróleo no mar de Veracruz, no México

    Cientistas mexicanos criam 'molécula-espiã' para rastrear petróleo nas jazidas

    © East News / Polaris Images
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Com o objetivo de obter petróleo de forma mais ecológica, os cientistas mexicanos conseguiram desenvolver uma molécula especial para utilização nas jazidas de petróleo, que permite revelar como se deslocam os fluidos a 2,5 mil metros de profundidade.

    A molécula, que é inócua, biodegradável e capaz de ser detectada em concentrações mínimas, consiste em um anel de benzeno que contém tricloro e sal de anilínio, com uma parte fluorada.

    O projeto está sendo realizado por especialistas da Faculdade de Química da Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM). O grupo de cientistas espera desta forma contribuir para oferecer combustíveis de melhor qualidade.

    Esta molécula, que também é resistente à salinidade, altas temperaturas e pressão, já foi testada e está em processo de obtenção da patente tanto no México como nos EUA, informou a Agência Mexicana de Pesquisa e Desenvolvimento (INVDES).

    O químico José Fernando Barragán explicou que "várias substâncias químicas podem aumentar a produção onde o petróleo já não flui para a superfície", embora para isso "seja necessário primeiro conhecer a estrutura e as características das jazidas". A nova molécula se deposita no fundo das jazidas e "através de seu seguimento" permite saber "para onde se movem os fluidos", e "projetar as seguintes etapas de extração", disse ele.

    "Com esses resultados, nos tornamos parte dos mais avançados em desenvolvimento de tecnologias; agora estamos trabalhando em uma segunda versão do mesmo rastreador", concluiu o especialista mexicano.

    Mais:

    Venezuela destinará campo de petróleo para fortalecer criptomoeda nacional
    Como empresa russa Novatek protegerá petróleo libanês de Israel?
    Tags:
    tecnologia, químicos, cientistas, petróleo, Cidade do México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar