09:12 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Foguete-portador Zenit-3SLBF lança observarório astrofísico Spektr-R do cosmódromo de Baikonur (foto de arquivo)

    Rússia envia ao espaço primeiro satélite de Angola (VÍDEO)

    © Sputnik / Oleg Urusov
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Primeiro satélite de Angola (9)
    13411

    Está sendo enviado ao espaço, do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, nesta terça-feira, o primeiro satélite angolano, o AngoSat-1, construído por um consórcio russo liderado pela RSC Energia.

    O lançamento, realizado pela corporação aeroespacial russa Roscosmos, que controla a RSC Energia, envolve um foguete ucraniano Zenit-2SB. 

    O AngoSat-1, que, de acordo com a agência Lusa, vai garantir a utilização comercial para serviços de telecomunicações nacionais e internacionais, faz parte de um projeto russo-angolano iniciado em 2009. O satélite teve sua construção iniciada em fins de 2013, mas teve seu lançamento várias vezes adiado.

    Segundo o governo angolano, que investiu cerca de 270 milhões de euros no projeto, o AngoSat estará disponível para comercialização logo após o período de testes, que deve durar de dois a três meses. O valor investido deverá ser recuperado pelo Estado dentro de dois anos, conforme relatou a Lusa.

    O satélite angolano foi projetado para uma missão de 15 anos, que consistirá no fornecimento de internet de alta velocidade e transmissões de rádio, televisão e outras comunicações para toda a África e partes da Europa.

    Tema:
    Primeiro satélite de Angola (9)

    Mais:

    Novo lançamento de satélite pode esconder mais um teste balístico da Coreia do Norte
    Opinião: novo satélite russo tem tudo para monitorar atividade militar no exterior
    Últimos momentos de um satélite soviético foram capturados no céu da Sibéria (VÍDEO)
    Governo quer privatizar 57% de seu único satélite
    Tags:
    satélite, foguete, lançamento, Zenit-2SB, AngoSat-1, RSC Energia, Roscosmos, Baikonur, Ucrânia, Angola, Cazaquistão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar