19:43 24 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Um buraco negro na visão de um artista

    Robôs russos fazem descobertas espaciais que podem revolucionar o mundo

    © AFP 2018 / L. Calçada / EUROPEAN SOUTHERN OBSERVATORY
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    141

    O astrofísico da Universidade Estatal Lomonosov de Moscou Vladimir Lipunov elaborou, junto com os seus colegas, uma rede única de telescópios MASTER que permitiu descobrir cerca de 1,5 mil novos objetos no espaço durante os últimos 15 anos.

    Mas um dos maiores sucessos para o cientista é que o telescópio instalado na Argentina foi capaz de registrar uma colisão entre estrelas de nêutrons em agosto do ano passado.

    "MASTER, um sistema móvel astronômico de telescópios robotizados, localiza-se em 5 cidades da Rússia, na África do Sul, na Argentina e nas ilhas Canárias", explicou o cientista à Sputnik França.

    De acordo com ele, estes robôs não apenas capturam fotografias de diferentes objetos que aparecem no céu, mas também os analisam para encontrar novos.

    "Os nossos robôs sabem tudo o que é preciso saber sobre o céu. Nós os ensinamos, nós os fizemos baixar catálogos com informações relacionadas".

    Assim, graças a esta rede, os pesquisadores conseguiram detectar estrelas variáveis, asteroides, cometas, supernovas, etc.

    Mas para Vladimir Lipunov uma das descobertas mais importantes foi feita em 17 de agosto passado. Neste dia, o telescópio na Argentina, bem como alguns outros instalados no estrangeiro, gravaram algo sem precedente – uma colisão de estrelas de nêutrons. A colisão causou ondas gravitacionais suficientemente fortes para poderem ser detectadas na Terra.

    Como sublinhou o cientista, pela primeira vez na história da ciência, astronomia e física, os pesquisadores conseguiram gravar ondas gravitacionais emitidas depois de uma colisão de duas estrelas de nêutrons muito densas.

    Segundo ele, as consequências desta observação e os dados recebidos podem revolucionar o nosso planeta e mesmo o Universo.

    Em 17 de agosto, a cerca de 130 milhões de anos-luz, na galáxia NGC 4993 foram captados vários sinais por alguns telescópios, bem como por outros dispositivos terrestres e espaciais em simultâneo. O MASTER não foi uma exceção.

    Era uma colisão de duas estrelas de nêutrons que provocaram ondas gravitacionais. Antes, os pesquisadores estavam convencidos que só os buracos negros eram capazes de ter tais efeitos.

    Foi a quinta vez que as ondas gravitacionais foram vistas a partir da Terra, os pesquisadores que permitiram esta detecção receberam o Prêmio Nobel da Física em 2017.

    Mais:

    'Objeto interestelar' faz visita surpresa ao nosso Sistema Solar (FOTO, VÍDEO)
    NASA indica a possibilidade de haver um novo planeta em nosso sistema solar
    Tags:
    telescópio, robô, ciência, galáxia, descoberta, pesquisa, espaço, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik